DHTML Menu By Milonic JavaScript

Português » Espiritualidade » Peregrinações & Retiros » Peregrinação na Terra Santa, 1998 » A União do Amor Divino na Santíssima Trindade  »

A União do Amor Divino na Santíssima Trindade

 

por Vassula

Para estar ligados a Deus e obter uma união de amor divino em Deus, devemos decidir-nos por Deus e morrer para nós mesmos e para as nossas paixões, deixando-nos a todos para trás, a fim de que deixemos o Espírito Santo livre de Se modelar em nós e de invadir inteiramente a nossa alma. Por outros termos, devemos permitir ao Espírito Santo que nos cative com os Seus encantos e nos possua. Uma vez que permitimos ao Espírito Santo que aja em nós, Ele Mesmo transfigura a nossa alma num Éden.

"permite ao Meu Espírito que respire e que habite no íntimo da tua alma; deixa-Me livre de destruir todas as impurezas e imperfeições que se Me opõem. Minha Vassula, quando a tua alma estremecer, como se caísse no fogo, sempre que Eu levantar a Minha Mão para destruir tudo aquilo que ainda te mantém prisioneira, não tenhas medo, não fujas aterrorizada: deixa-Me arrancar da tua alma todas essas enfermidades. Como tempestade, Eu Mesmo virei a ti, para pôr em execução aquilo que o Meu Coração decidiu. E será essa a tua preparação para a nossa união perfeita. Eu já te havia dito, no princípio, que tu serias a Minha rede e o Meu alvo; mas tu não tinhas compreendido o significado desta última palavra; não tinhas compreendido que, para te preparar para essa união perfeita, Eu tenho de te purificar e embelezar a tua alma; tenho de estender o Meu arco e servir-Me de ti como alvo da Minha seta. Oh! Que não farei Eu por ti!

Deixa o Meu Espírito crescer em ti e o Meu Fogo Divino gritar na tua alma. Tu serás fundida, sob a ação do Meu Fogo Divino. Não te lamentes, pois, quando Eu Mesmo vier a ti como uma moca para quebrar todas as tuas imperfeições; não perguntes ao teu Santíssimo o que está a fazer. Eu estou no caminho que leva ao aposento mais íntimo, a Minha Morada; e os obstáculos, esses, por mais persistentes que sejam, não Me impedirão de realizar a Minha Intenção: Eu Mesmo devorarei esses rivais... cada pequena impureza será tomada de assalto, pela Minha Pureza, e aniquilada; a Minha Luz continuará a resplandecer em ti; o Meu Espírito correrá no teu espírito como um rio..." 20.1.92  

Cada um de nós tem uma missão nesta terra. Esta missão poderá ser pequena ou grande, e diferente, uma da outra; mas ninguém poderá desempenhar dignamente a missão que lhe foi atribuída pelo Espírito Santo, a menos que cultive a sua amizade e a sua intimidade com a Santíssima Trindade. Se algu[em, não importa quando, quiser começar a contar apenas com as suas próprias forças, mesmo que lhe não falte muito zelo, não tardará a cair, acabando então por reconhecer que não passava de um vento agitado.

Hoje, o Senhor  dá-Se-nos a Si Mesmo, pela Sua Proximidade e pela Sua Intimidade. A intimidade é a chave do conhecimento de Deus. De que nos serve falar de Deus, sem ter encontrado Deus, sem O ter conhecido face a face, a um nível de intimidade? Por isso, quando Deus, pela Sua infinita Misericórdia, Se inclina para nós de todos os modos, e Se adapta mesmo a nós, nós, por nosso lado, devemos submeter-nos a Ele. Devemos abrir a porta do nosso coração à graça, sem hesitação alguma, cair nos Braços do nosso Pai, reconhecendo que somos verdadeiramente a Sua semente, o osso do Seu Osso e a carne da Sua Carne; sim, nós somos verdadeiramente os Seus:  "A submissão seduz-Me; por isso, por severa que pareça, ela é a Abertura pela qual Eu posso entrar no teu coração e fazer a Minha Vontade." (19.6.95)

Deus manifesta-Se-nos, hoje mais do que nunca, de um modo íntimo, para que saboreemos a Sua doçura e tenhamos parte na Sua Luz, nas Suas Obras divinas. É pela Sua graça que obtemos esta parte, para nossa perfeição e santificação.

A Santíssima Trindade deseja que nós nos rendamos a Eles e que passemos a ser os Seus instrumentos para os Seus desígnios e, enquanto Eles Mesmos nos irão orientar para uma vida contemplativa, permitindo-nos ao mesmo tempo que descubramos o Divino, nós seremos transfigurados pelo Seu doce Amor. Unidos à Santíssima Trindade e transfigurados n'Eles, a nossa alma jamais se poderá separar d'Eles. O Seu Amor possuir-nos-á, enquanto nós, por nosso lado, cativados pela Sua beleza celeste, cativados pelos Seus encantos, desejaremos possuí-Los.

A alma que chegou a conhecer o Senhor pelo Espírito Santo foi transfigurada pelo Amor de Deus e jamais poderá afastar o seu pensamento de Deus. É justamente aí que Jesus nos conduz: Ele leva-nos a viver uma vida de oração contínua. Deus deleita-Se com a alma que se abre à graça divina. Nas mensagens, Deus diz: 

"... Que cada um possa ser atraído a Mim e viver em toda a Minha plenitude, e que cada criatura viva possa possuir-Me como também Eu a desejaria possuir."(9.1.96)

Quando a alma for arrebatada pelo Amor de Deus, acompanhará Deus por onde quer que a atraia o Seu Amor misericordioso, Deus prepara a alma para uma missão e, depois de ter sido acariciada por um momento, no início, nos Braços da Trindade, Cristo virá e pedir-vos-á que O sirva, no mundo. Deste modo, abandonareis o vosso conforto e voltareis as costas ao mundo e encontrareis na Igreja a plenitude do se objeto: Deus e o próximo. Quando, no início, Jesus Cristo Se aproximou de mim, isso aconteceu sempre na intimidade, de um modo privado; depois, veio o momento em que perguntou: "Queres servir-Me?"

Isso espantou-me, e precisei de um dia para Lhe responder Quando, finalmente, Lhe respondi, dizendo-Lhe "sim", Jesus disse:

"Trabalha e serve-Me como agora. Mantém-te como és. Preciso de servidores que possam servir-Me, justamente onde falta o amor. Trabalha muito, porque, onde tu estás, estás no meio do Mal, dos não crentes, estás nas abjetas profundezas do pecado. Tu servirás o teu Deus, onde reina a obscuridade, não terás descanso; tu servir-Me-ás, onde todo o bem está a ser transformado em mal. Sim, serve-Me no meio da miséria, entre a crueldade e as iniquidades do mundo; serve-Me entre a gente sem Deus, entre os que fazem pouco de Mim, entre os que trespassam o Meu Coração; serve-Me, entre aqueles que Me flagelam, entre aqueles que Me crucificam ainda e escarram em cima de Mim..." (24.5.87)

Deste modo, o que Cristo dispôs para mim como missão e como ato de caridade, devia eu acolhê-lo e abraçá-lo. Este ato de caridade consiste em dar-me a esta missão com muitos sacrifícios. A caridade não pode senão tomar parte nas obras e na imolação de Cristo pela Sua Igreja, pois de outro modo seria demasiado egoísta receber sem dar. Desde o início, a minha formação trouxe com ela graças carismáticas, que transformam a minha alma como numa vasta fornalha de amor. Para acompanhá-las, deu-me Deus gratuitamente, sem mérito algum de minha parte, a santidade espiritual e a força. Numa das Suas mensagens, Deus diz:

"Deixa-Me renovar a tua força no Meu Coração, enchendo o teu coração da Minha Paz. Nós apareceremos de novo juntos, quando o tempo vier. As Minhas vitórias, conquistando as almas, serão saudadas em cada um dos Meus passos, e tu, ligada a Mim, correrás e não ficarás cansada, falarás e não terás sede, ficarás de pé sem te fatigar; avançarás Comigo." (6.5.97)

É agora para todos nós, pois partilhamos este Nobre Tema que se chama A Verdadeira Vida em Deus, e que nos reuniu aqui hoje. Para servir Nosso Senhor, devemos lembrar-nos de O servir com amor. É o que Cristo nos diz:

"É bom fazerdes boas obras por Mim e seguirdes algumas devoções, assim como atos de amor, ações de graças e atos de reparação; mas Eu ficaria imensamente decepcionado se morrêseis antes de Me terdes conhecido.Ficaria imensamente aflito, se morrêsseis agora, antes de Me terdes compreendido. Muitos de vós estais ocupados com as vossas tarefas quotidianas, que Me agradam, sempre que são feitas com amor e segundo o Meu Pensamento; mas tudo isso será incompleto, se vos não abrirdes à graça e Me não aceitardes na Minha Intimidade. Por isso, vem e aceita a Minha companhia familiar e Eu, de muito bom grado, poderei levar-te Comigo, nos mistérios e segredos escondidos do Nosso Coração. Tu e eu passaremos a ser inseparavelmente unidos no amor, agora e para sempre." (2.11.97)

Se queremos de fato progredir espiritualmente e seguir a Via para sermos unidos a Deus, devemos saber que quanto mais nos deixarmos apagar para Deus, mais completamente seremos unidos a Deus e maiores serão as Suas obras em nós. Deus não quer encontrar rival em nós. A humildade existe quando não somos nada. Quando formos reduzidos a nada, por essa extrema humildade, a união espiritual será então operada entre a alma e Deus, o que, nesta vida, significa o maior e o mais elevado estado que se pode atingir. O caminho para esta união de amor é abraçar com amor a Cruz que, todos o sabemos, nos conduzirá ao Calvário:

"Aquele que está unido a Mim, toma o mesmo caminho que Eu tomei, o caminho do Calvário. Aquele que segue a Vítima Suprema passa a sr uma parte da Vítima" (30.5.93)

"Eu, o Senhor, mostro-te os passos que percorri até à Minha Paixão. Uma vez que Me serves, deves seguir-Me. Que desejarias tu que Eu te dissesse? Que te diga: "Segue-Me, mas não pelas Pegadas dos Meus Passos?" Isso não pode ser; quem Me segue deve seguir as Pegadas dos Meus Passos, banhadas pelo Meu Sangue..." (3.6.93)

"Quanto mais conseguirdes  ser humildes, mais facilmete o Meu Espírito descobrirá o Seu caminho em vós"(23.9.96)

Deus tenta apaixonar o nosso amor e ensinar-nos todos a levar uma vida contemplativa, fazendo-nos repousar no aposento nupcial do Seu Coração. Numa das Suas mensagens, Jesus diz:

"Eu vou suscitar a sua sede de apenas procurarem o Meu Coração. Como um rei que se senta no seu trono real, revestido com o seu traje de estado, brilhante de ouro e de pedras preciosas, com um cetro na sua mão direita, terei como primeira e principal preocupação preservar o Meu Trono, no teu coração, a fim de que o teu coração continue a ser ornado das riquezas de teu Rei e Senhor; essa riqueza de Me conhecer na Minha Glória trina, riqueza de Me temer e riqueza de fugir de todo o gênero de pecado e, finalmente, riqueza de fazer a Minha Divina Vontade e o que Me agrada a Mim, teu Deus..." (6.5.97)

Mesmo que se recebam favores extraordinários, não há comparação alguma e ninguém deve hesitar em preferir a oração de união aos favores extraordinários. Não deverá haver nenhuma hesitação em tal preferência. As nossas predileções deveriam aspirar, todas elas, à oração de união, se necessariamente houvéssemos de sacrificar tais favores extraordinários. Deste modo, vedes que a união perfeita com Deus é tudo o que conta, porque a união com Deus é, de um modo absoluto, o único bem que podemos desejar e pedir.

O Sagrado Coração de Jesus convida-nos, uma vez mais e sempre, no Seu apelo de A Verdadeira Vida em Deus, a partilhar as riquezas do Seu Coração. De todas estas riquezas divinas, a maior e a mais elevada é a posse do próprio Deus. 

Por outro lado, entregai a vossa liberdade a Deus e oferecei-vos a vós mesmos, como escravos, a Deus. Lembro-me de um dia ter dito a Deus: "Deixai-me ser a Vossa escrava ajudante, para Vos servir"; eu considerava que a escrava era de um nível mais elevado que a escrava ajudante. Devemos ser escravos de Deus e marcados com o Seu sinal que é o sinal da Cruz, como testemunho do que Lhe fizemos com a nossa liberdade. E então vos poderá Ele vender como escravos a todo o mundo, como Ele Mesmo Se deixou vender. Os escravos não têm repouso; por isso Ele Me disse uma vez: "E tu não terás repouso algum...".

Uma alma jamais aceitaria a condição de escravatura, se não tivesse sido tocada pelo Espírito Santo, que lhe fez conhecer o amor de Deus que a levará a regressar a Deus. Escutai esta mensagem:

"Eu, Javé, posso ornar o teu espírito, oferecendo-te, em profusão, uma enchente do Meu Divino Amo, a fim de que tu, por teu lado, Me correspondas com a mesma enchente de amor. Então, espera ver o dia em que Eu Mesmo te irei atrair ao aposento nupcial do Meu Coração; como uma rosa que cresce 'na margem de um curso de água, tu florescerás para declarar a grandeza do Meu Nome, chamando-Me "meu Pai" " (25.9.97)

Quando a alma for submergida pelos Rios do Amor, ela mesma passará a ser, como Deus, sedenta das almas. Na sua sede por atrair as almas a conhecer o Senhor, a própria alma se lançará voluntariamente no mundo, para atrair todos os pecadores à conversão e a amar Deus. Desse modo, estas almas dão testemunho, à sua maneira, de que para amar, se deve servir com amor e que, servindo com amor, se chega à perfeição do amor.

Os milagres feitos em nome do Senhor não são "luz verde" para o céu, como também não provam que conhecemos Deus ou que Deus nos prefere. O Céu é ganho pelos que amam, porque fazem a divina Vontade de Deus. E, no Dia do Juizo, seremos todos julgados pela medida do nosso amor.

Lembrai-vos do que Jesus disse:

"Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos Céus, mas sim aquele que faz a vontade de Meu Pai que está nos Céus" (Mt 7,21)

Isto significa que se a vossa ação é feita sem amor, não serve de nada. Se, façamos o que fizermos, é feito sem que sejamos movidos e animados pelo amor, viremos a ouvir, o mais provavelmente, a Voz do Juiz dizer-nos: "Vai-te, não te conheço". Diz o Pai: 

"As Minhas Obras seriam estéreis, se Eu te não tornasse perfeita no teu amor. De que Me teriam servido as tuas obras e que espécie de honra teria havido nelas, para Mim, se tivessem sido oferecidas sem que tu primeiro Me tivesses dado livremente todo o teu coração?" (25.9.97)

Deus convida-nos a rezar e a pedir conselho ao Espírito de Conselho. Eis o que ele diz:

Pede o Meu Espírito de Conselho, que faça desejar a integridade, a humildade, a lealdade e a bondade, a fim de que os teus passos te não faltem, ao levarem-te a fazer o mal. Infalivelmente, o Meu Espírito de Conselho te fará conhecer a Sua Lei e te aconselhará, dizendo-te: "não consideres ninguém igual a Deus; serve a causa do bem; alivia os oprimidos; não faças mal a ninguém, mas amai-vos e ajudai-vos uns aos outros. Não aflijas nem incomodes a viúva, nem mostres dureza para com o orfão. Pratica o bem e não sejas como os criminosos e os maus que arruinam a sua alma, arruinando os indefesos. Não te revoltes jamais contra o teu Deus, mas inclina a tua cabeça e dobra o teu joelho, na Sua Santa Presença. Não substituas nunca o Seu Sacrifício Perpétuo, mesmo por todos os reinos do mundo e seu esplendor". (19.6.95)

Deus exorta-nos a segui-Lo e a aperfeiçoar a nossa união com as Três Pessoas Divinas porque, tornando perfeita a nossa união com a Santíssima Trindade, os nossos pesamento, os nossos atos, as nossas palavras, estarão em total harmonia com a Divina Vontade de Deus, uma vez que tudo será regrado e ordenado com amor. Por esta união divina, tudo o que pertence à Santíssima Trindade pertencerá também àquele que etiver unido a Eles. Quando a alma se tiver rendido a Deus, então, o seu pensamento não conterá nada mais que Deus e a nossa vida será transformada numa oração contínua e nós mesmos nos apresentaremos na presença de Deus com um pensamento puro:

"E, muito embora tu venhas a estar sempre entre os homens, o teu espírito estará no Céu; e, embora o teu corpo se venha a mover entre os homens, a tua alma e o teu espírito serão como os dos anjos, a caminhar nas Cortes do Nosso Reino, a caminhar entre os anjos. (...) Ensinar-te-ei a viver em Nós, a movimentar-te em Nós e a respirar em Nós. Ensinar-te-ei que Nós somos a Vida e que, em Nós, tu não deixarás de existir." (25.10.94)

Sabemos que é pelo Espírito Santo que acabamos por conhecer o amor de Deus, que é um amor que nos consome, pois o Espírito Santo é aquele que instrui a alma. Deveríamos então, com fervor, pedir ao Senhor que nos concedesse conhecê-Lo pelo Seu Espírito Santo, tal como Ele Mesmo deu a Seus discípulos o Espírito Santo e eles O conheceram:

"Por isso, por mais tempo que estiverdes neste mundo, jamais compreendereis que é pelo Meu Espírito Santo que o vosso corpo poderá ser cativado, a fim de que os vossos pensamentos se transformem em nobres pensamentos; e depois, por esta mesma nobreza de pensamento, estreis dispostos a fazer a Minha vontade..." (25.2.98)

Quando nos dirigirmos a Nosso Senhor o Espírito Santo de Amor agirá em silêncio na nossa alma, para transfigurá-la num Céu, a fim de que nesse mesmo Céu a Santíssima Trindade seja glorificada. E de novo, nesse Céu que existe em nós, a nossa oração ao Pai será realizada, porque nesse estado Primaveril, tendo sido renovados pela Própria Primavera, o Reino do Reinado de Deus reinará sobre a terra e a Sua Vontade será feita, tanto na terra como no Céu:

 

"E o Meu Reino virá, porque o Meu Trono descerá do Alto, por sobre a Minha Cidade Santa; e Eu reinarei no resto que ficar, o qual Me verá, então, face a face. O Amor regressará como Amor. E a Minha Vontade será feita, na terra como no Céu, porque vós sereis um e adorar-Me-eis à volta de um único Sacrário, com amor nos vossos corações e um Fogo ardente em vós. Cumprirei, então, a Minha oração sacerdotal. Tanto na terra como no Céu, as vossas almas estarão enraizadas em Mim, no Amor, na Unidade e cumuladas pela absoluta plenitude do Meu Espírito." (19.12.90)

Deus Pai diz numa recente mensagem: "Eu vou ornar esta terra como uma Primavera, a Minha Primavera. Que será, então, a Primavera de Javé? A Minha Primavera, Meus bem-amados, será quando toda a Minha criação resplandecer com uma brilhante luz (...) A vossa imagem de trevas jamais existirá, porque Eu, vosso Esposo e o mais amável dos pais, brilharei em vós..." (25.2.98)

Deus diz que, um dia, a nossa geração clamará estas palavras à Santíssima Trindade:

"Ó Adorável Trindade!
Mantende os nossos olhos seduzidos
pelo Único Coração
e fornecei à nossa alma o que lhe falta;
Ungi-nos, ó Santa e Divina Trindade,
derramando o Vosso óleo em nós,
a fim de que permaneçamos
indissoluvelmente unidos a Vós na Vossa Vontade,
e preparai-nos para o Vosso glorioso Reino,
com Reinado, na terra, em que a Vossa Vontade
venha a ser a essência da nossa vida quotidiana
e o emblema, nas nossas frontes,
e o Amor, a bandeira por cima das nossas cabeças"
Amém

 
Espiritualidade
Orações
Discursos
Cartas
Trabalhos
Milagres
Reflexões nas Mensagens
Grupos de Oração
Peregrinações & Retiros
    10a Peregrinação Ecumênica de A Verdadeira Vida em Deus na Itália
    Rodes 2012
    9a. Peregrinação Ecumênica de A Verdadeira Vida em Deus na Terra Santa
    8a. Peregrinação Ecumênica de AVVD em Roma
    Rhodes, Greece 2010
    Retiro de Evangelização em Roma, 2010
    Peregrinação Bíblica na Grécia, 2009
    Retiro no México, 2009
    Reunião no Egito, abril de 2008
    Retiro no Brazil em 2008
    Peregrinação Bíblica na Turquia, 2007
    Retiro em Barcelona, 2006
    Peregrinação no Líbano, Síria e Jordânia, 2005
    Retiro em Meteora, 2004
    Peregrinação ao Egito, 2002
    Peregrinação na Terra Santa em 2000
    Peregrinação na Terra Santa, 1998
        Mensagem de Yahweh através de Vassula
        Introdução de Vassula
        A União do Amor Divino na Santíssima Trindade
        A União nos Corações
        O Coração do Pai
        O Grande Regresso
        Como Cultivar a Verdadeira Vida em Deus
Profecias
A Paixão

Orações
Orações Selecionadas das Mensagens
 

Discursos
Discursos de Vassula e vários outros colaboradores listados em ordem cronológica
 

Cartas
Vassula escreve sobre vários temas
 

Trabalhos
Trabalhos e outros escritos de vários colaboradores sobre vários temas
 

Milagres
Um NOVO projeto realizado em Nov 2006. Coleção de gravações de milagres associados com Vassula e a AVVD
 

Reflexões nas Mensagens
Meditações, reflexões e comentários sobre algumas mensagens selecionadas
 

Grupos de Oração
Grupos de Oração de AVVD e Associações
 

Peregrinações & Retiros
Próximas e já realizadas peregrinações e retiros de A Verdadeira Vida em Deus
 

Profecias
Artigos e Inspirações relacionadas a profecias
 

A Paixão
Vassula experimenta a Paixão de Jesus
 

 
 
MENSAGEM DO DIA:

Os Meus Mistérios Terão De Permanecer Mistérios
 
MENSAGEM ANTERIOR:

Exaltação Da Cruz
 
 
 



Pesquisa Rápida

© Vassula Rydén 1986 Todos Direitos Reservados
X
Enter search words below and click the 'Search' button. Words must be separated by a space only.
 

EXAMPLE: "Jesus Christ" AND saviour
 
 
OR, enter date to go directly to a Message