RETURNAR AO SITE:http://www.tlig.org/pt/spirituality/reflections/wounds/TAMANHO DA LETRA: NORMAL - GRANDE

Português » Espiritualidade » Reflexões nas Mensagens » "Aqueles que não beberem das Minhas Chagas definharão" »

 

"Aqueles que não beberem das Minhas Chagas definharão"

(Mensagem de 30 de Julho de 1990)

Pe. John Abberton

Posted: March 15, 2006

O que significam essas palavras? Precisamos vê-las em contexto:

"Contempla as Palmas das Minhas Mãos, o Meu Peito e os Meus Pés; sente as Minhas Chagas… Aqueles que não beberem das Minhas Chagas definharão..."

A mensagem continua, falando sobre a “Chamada ao Amor” e sobre a necessidade de respondermos a ela. Nas duas linhas mencionadas acima, Jesus nos pede para olharmos para as suas chagas e então fala sobre bebermos dessas chagas.

Devemos entender “beber” não apenas como uma referência para recebermos a Sagrada Eucaristia – bebendo o Sangue Precioso – mas no sentido de “beber” tudo o que Ele é, tudo o que Ele ensina. Devemos entender “beber” como ser espiritualmente nutrido nas profundezas de nossas almas. Se pensarmos, na linguagem mística, beber na “fonte”, que é o Sagrado Coração, então não é apenas o Sangue de Cristo que recebemos, mas o Espírito Santo (o Sangue e a Água que flui do Seu Lado, como descrito no Evangelho de São João).

Nesse sentido, também pensamos em beber na “fonte” da Sabedoria. Mais adiante na mensagem, Jesus nos fala sobre essa Sabedoria. É a Sabedoria das “Chagas”. Estamos sendo convidados a contemplar as Santas Chagas. Nesse sentido, podemos ver o convite a beber como um convite à contemplação. Salmos 41 (42) vem à mente:

 

Assim como o cervo brama pelas correntes das águas,

Assim suspira a minha alma por ti, ó Deus!
A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo;

Quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?

A imagem do cervo (ou veado) procurando pela água corrente é um símbolo tradicional do coração (ou alma) à procura de Deus. O “riacho” de que fala a profecia de Ezequiel (ver Ezequiel 47) - o qual se torna uma torrente que flui para o mar (frequentemente simbolizando a humanidade) e o qual traz vida e cura à medida em que aumenta – , é uma imagem da corrente que flui a partir do lado de Cristo e nos fala do Sangue curativo que flui das Cinco Chagas Gloriosas. Em algumas traduções do Inglês, a água que saía “debaixo do limiar do templo” é descrita como água que flui sem parar, ou que flui do lado direito do templo. Acredita-se que a ferida de lança atingiu o lado direito do Corpo de Cristo, com a ponta da lança entrando pela parte inferior do pulmão direito e, em seguida, perfurando o coração.

Contudo, pensamos em “beber das Chagas” como um convite para abrirmos os nossos corações para a graça e a vida que Cristo derrama sobre nós da Cruz. Enquanto nos preparamos para a Páscoa, este poderia ser um dos Sagrados Mistérios que nos levam mais perto Daquele que fala nas Mensagens. A “Sabedoria das Chagas” nos ensina a viver como discípulos do Senhor que humilhou-se a si mesmo para a nossa salvação.

 

(Mensagem de 30 de Julho de 1990)

Fiquei cinco dias, neste Mosteiro; cinco dias de jejum e de silêncio absoluto: só oração e meditação.