RETURNAR AO SITE:http://www.tlig.org/pt/spirituality/pilgrimages/rhodes2012/pray-to-the-lord-and-he-will-heal-you/TAMANHO DA LETRA: NORMAL - GRANDE

Português » Espiritualidade » Peregrinações & Retiros » Rodes 2012 » Ora ao Senhor e Ele te Curará »

 

Ora ao Senhor e Ele te Curará

(22 de Julho de 1990)

O poder da oração e seu efeito curador

 

Fr. Vincent Cosatti
Pe. Vincent Cosatti

Este é um tema vasto e, por isso, 45 minutos não são nem de longe suficientes para dar uma visão geral do assunto. Assim sendo, vou apresentar apenas alguns aspectos importantes e fundamentais da oração como fonte de cura.Vou me referir a alguns autores que foram muito ativos e influentes nesta área recentemente. Pe. Emiliano Tardif, em particular, é alguém que, como vocês sabem, disse sobre Vassula e A Verdadeira Vida em Deus, “Eu acredito que ela é sincera e autêntica mística: certamente é o Senhor que fala com ela. A Verdadeira Vida em Deus está cheia de tesouros”. Portanto, é firmado nesse tesouro que tentarei mostrar que a associação de oração e cura é o tema fundamental de nossa vida espiritual e consequentemente está no coração do Hino de Amor de A Verdadeira Vida em Deus, e um de seus temas mais constantes. De fato, na mensagem de 1º de maio de 1989, o Senhor diz:

“Eu vim até vós para vos curar e consolar; vim para vos trazer Paz e Amor;”

E um pouco adiante Ele acrescenta:

“Ah! Bem-amados, Eu vim para curar as vossas feridas, as vossas chagas e doenças que vos foram tão cruelmente infligidas nestas trevas. Não, Meus bem-amados, as vossas feridas não são incuráveis: as vossas feridas podem ser curadas, porque Eu-Estou-Convosco, e mais perto de vós que nunca;”

Definimos feridas como um ataque à nossa integridade pessoal, ela evita que desfrutemos a vida que Deus nos dá e que realizemos o trabalho que Ele nos confiou. De acordo com a antropologia Bíblica, a unidade e integridade da pessoa consiste de uma harmoniosa interação entre os três níveis do seu ser: espírito, alma e corpo. Qualquer ataque contra esta integridade constitui uma ferida que experimentamos como um sofrimento.

O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo!” (I Tess 5, 23)

Apesar de Paulo fazer distinção entre o espírito, a alma e o corpo, como se o corpo fosse diferente da alma, a maioria dos grandes místicos, como Santa Teresa de Lisieux ou São Francisco de Sales, por exemplo, não separam o espírito da alma, mas consideram o espírito de alguma forma o ponto alto da alma. Dito isto, são nestas três “áreas” que podemos experimentar defeitos e por isso precisam de cura. O espírito é o que nos distingue dos animais e faz de nós seres espirituais, capazes de ter fé, esperança e amor.

Perguntemo-nos primeiramente de qual doença precisamos ser curados, e então consideremos quais os instrumentos que têm o poder de restaurar nossa saúde.

Quanto à doença da alma, estas incluem todas as nossas tendências desordenadas, o mundo de emoções, nossos medos e inquietudes, várias cadeias que nos incapacitam e aprisionam, escravidões do nosso passado recente ou remoto, de maus hábitos, escravidões voluntárias ou involuntárias, os nossos fracassos do amor, as feridas da infância, do nascimento, da adolescência, todos os diferentes tipos de dependências, agressividade, auto-absorção, insensibilidade, hostilidade, escapismo, complexos, e assim por diante.

E finalmente, há a doença do espírito. Elas podem ser resumidas como os pecados contra a fé, esperança e caridade, ou vivendo como se Deus não existisse, se desesperasse, e ódio.

A visita de Deus

Por mais de um século, desde o começo da renovação carismática, começando com os Protestantes e em seguida Católicos, o fenômeno de cura continua a crescer. A visão foi restaurada em um instante para o cego, o surdo voltou a ouvir perfeitamente, os coxos deixaram as suas muletas para trás, os doentes se levantaram de suas camas hospitalares completamente curados. Em resumo, os sinais que Jesus identificou para João Batista parecem se repetir novamente em uma grande escala:

“Ide e contai a João o qe ouvistes e o que vistes: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são limpos, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, o Evangelho é anunciado aos pobres, (Mat, 11, 4-5) Esses sinais eram muito numerosos no início do ministério apostólico. O livro dos Atos dos Apóstolos nos conta que “realizavam-se entre o povo pelas mãos dos apóstolos muitos milagres e prodígios [...] de maneira que traziam os doentes para as ruas e punham-nos em leitos e macas, a fim de que, quando Pedro passasse, ao menos a sua sombra cobrisse alguns deles. Também das cidades vizinhas de Jerusalém afluía muita gente, trazendo os enfermos e os atormentados por espíritos imundos, e todos eles eram curados. (Atos, 5, 12; 15-16)

Os dons de cura estão ainda mais presentes no Ocidente foram ainda mais presentes no Século IV mas rapidamente desapareceram nos séculos seguintes. Mas ao longo dos séculos surgiram santos que operavam milagres manifestando o dom de cura. Pessoas como Santo Antônio de Pádua e São Roque. 

É inegável que o Espírito do Senhor atualmente está visitando Seu povo de um modo muito especial, sempre independentemente da santidade pessoal dos indivíduos. É surpreendente que a Igreja nem sempre o perceba:

Cidade! que Eu vim visitar, para proclamar, por meio de ti, o Meu Amor por todos vós e para curar os teus habitantes doentes (13 de maio de 1991)

Como é possível que o Meu Espírito Santo não consiga já ser percebido por tantos de vós? As profundezas da terra são abaladas pela Minha visita (23 de dezembro de 1993)

 

O que foi e o que é ainda a nossa resposta a esta visitação? A igreja não está cometendo o mesmo erro que aqueles que há 2000 anos não reconheceram a visitação do Messias? “Oh! Se também tu, ao menos neste dia que te é dado, conhecesses o que te pode trazer a paz!... Mas não, isso está oculto aos teus olhos.” (Lc 19:42) e sabemos que calamidade foi a conseqüência de tal cegueira.   

Aquilo que disse em Jerusalém repito-vo-lo agora a vós, com dor: "Se tivésseis compreendido, ao redor de vós, o esplendor da Minha Mensagem de Paz! Mas, infelizmente, ficou escondido aos vossos olhos!" Se, ao menos, também vós vos tivésseis aproveitado do Esplendor do Meu Espírito Santo, que derramava bençãos sobre bençãos em todos vós... Mas, infelizmente, não vistes nem compreendestes o Advogado, o Espírito Santo que o Pai envia em Meu Nome, a ensinar-vos e lembrar-vos todas as verdades que Eu vos dei, porque o príncipe deste mundo se serve da vossa liberdade para provocar a vossa queda. (27 de junho de 1991)   

Quanto mais aprofundamos nossa compreensão do ministério de cura, mais devemos compreender que os projetos de Deus vão além dos próprios milagres. O seu principal objetivo é trazer-nos a um amor maior, uma mais íntima união com Ele. Pois por mais importante que a cura possa ser, não devemos nunca esquecer-nos de que o essencial é um dia nos encontrarmos perto do Pai para cantarmos louvores a Deus por toda a eternidade.

Para aqueles que ainda duvidam, o Senhor afirma e promote Seu desejo de curar-nos:

Eu quero curar vossa pobre alma, quero descansar a sua alma cansada (10 de outubro de 1989)

Eu quero curar a vossa infidelidade, quero curar a vossa apostasia e dar a todos vós um coração puro. (15 de julho de 1996)

E o ministério de cura de Jesus ainda está ativo em nosso tempo:

O Meu Sangue foi derramado pela vossa salvação. Incarnei, na terra, vivi entre os pecadores, curando os doentes e ressuscitando os mortos. Não vos tenho abandonado, porque Eu estou ainda no meio de vós e curo-vos. Vinde a Mim, para serdes curados. Elevarei as vossas almas para Mim (2 de fevereiro de 1987)

Como Deus nos curará? A resposta é muito simples: através de nossa oração. “Pede ao Senhor e Ele te curará.” (22 de julho e 1990). Então, vejamos as condições para esta oração.

1) O Dom da Fé

A fé é simplesmente um dom de Deus. Ninguém pode receber esse inestimável dom, essa convicção inabalável sem a graça de Deus. O mesmo é verdade para o Amor e a Esperança. Fé é a condição sem a qual não haverá cura. Por quê? Porque é essencial para a humildade e amor: ela conhece e proclama a supremacia e onipotência de Deus. É esta abertura para esta livre entrega do dom de Deus que manifesta nosso amor por Deus. É esta abertura ao dom livremente dado por Deus que manifesta o nosso amor de Deus.

Nos milagres que encontramos nos evangelhos, a fé está presente em pessoas muito diferentes. Um dos mais belos exemplos é a mulher com o fluxo de sangue por doze anos, que toca a barra da túnica de Jesus e é curada imediatamente. Jesus sentiu uma força de cura sair de Si. E Ele disse a mulher “Minha filha, a tua fé te salvou. Vai em paz e sê curada do teu mal” (Mc 5, 34) A fé pode ser aquela do ministro, como nos mostra o exemplo do homem com a mão seca. Não há nada que nos diga que este homem tinha fé. O milagre de cura ou liberação é às vezes obtido não pela fé da pessoa implicada, mas indiretamente, pela intermediação de outros, como vemos na cura do paralítico: “Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico, 'Filho, perdoados te são os pecados… eu te ordeno: levante-se, toma o teu leito, e vai para casa.' ” (Mc 2:5.11)

Se vós acreditardes e Me oferecerdes a vossa vontade, abandonando-vos a Mim, então, Eu entrarei nos vossos corações e curar-vos-ei. (18 de agosto de 1988)

No começo da Catecismo da Igreja Católica, está escrito “Quando profissamos nossa fé, começamos dizendo: “Eu creio” ou “Nós cremos”[1]. Mas existem outros termos para expressar a dinâmica da fé. De fato, o Catecismo continua dizendo: “O desejo de Deus está inscrito no coração do homem, já que o homem é criado por Deus e para Deus; e Deus não cessa de atrair o homem a si,[2] a resposta a esta atração que é a comunhão e íntimo diálogo com Deus é um meio de expressar nossa fé. “Eu sou o pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome, e aquele que crê em mim jamais terá sede.” (Jo 6, 35) Igualmente em A Verdadeira Vida em Deus:

Vinde a Mim, para serdes curados. (02.02.87)

Vem! Aproxima-Me, embelezar-te-ei e purificar-te-ei, curarei todas as tuas feridas, restabelecer-te-ei, Minha menina. (07.04.88)

Vinde ao vosso Doce Salvador e curarei as vossas feridas. (28.12.88)

vem ter Comigo, quando a febre deste mundo se levanta contra ti e te queima; vem depressa ter Comigo, teu Abba, e curarei as tuas chagas. (19.09.91)

Ver também 17.01.89; 09.02.89; 14.1091; 11.02.92

E assim resulta que a vida na fé significa viver na intimidade, vir a Deus com confiança, como uma criança, um irmão ou um amigo, com um coração aberto e livre:

Deixai que os vossos corações se abram e que o Senhor entre neles; senão, como poderá curar-vos? (Nossa Senhora, 03.03.89)

Minha filha, toda a alma pode ser liberta, mas só quando se oferecer a si mesma e o quiser. Dei a cada alma este livre arbítrio e a sua vontade pertence apenas a si mesma, e se uma alma se obstina a não se abrir a Mim, como poderei Eu entrar no seu coração? Sou Deus e Senhor, mas concedi a todos a sua liberdade e a sua vontade. Se vós acreditardes e Me oferecerdes a vossa vontade, abandonando-vos a Mim, então, Eu entrarei nos vossos corações e curar-vos-ei. Eu não entrarei nunca à força. Estou à sua porta e espero que a abram e Me convidem a entrar. (18.08.88)

A fé implica a confiança. Acreditar é confiar em Deus, a única fonte de Graça. Emiliano Tardif costumava dizer que “um dos perigos do ministério de cura está em confiar na pessoa que aparentemente tem um determinado poder de cura. Isto é de fato um sério erro , porque só Jesus é saúde para o doente. É Jesus que tem todo o poder; as pessoas são apenas canais da Sua graça.” E ele dá-nos esta imagem que estaria bem ter o presente cada vez quando alguém reza pela cura: “Quando alguém impõe as mãos sobre uma pessoa doente, elas parecem-se com um par de luvas com mãos de Jesus nelas. É Jesus que atua através delas.”

Isto é o que um incidente nos Atos dos Apóstolos nos ensina (Atos 3: 1sgts.) Pedro e João tinham acabado de curar um coxo de nascença e o povo “encheu-se de espanto e pasmo pelo que lhe tinha acontecido”. Pedro se dirigiu a eles dizendo: “Homens de Israel, por que vos admirais assim? Ou por que fitais os olhos em nós, como se por nossa própria virtude ou piedade tivéssemos feito este homem andar?

Fixemos nosso olhar apenas em Jesus Cristo. “Eu, Javé, sou o vosso Médico.” (4 de março de 1994) “Sem Mim, nada podeis fazer.” (Jo 15, 5) 

Sim; vê, Vassula, agora começas a compreender-Me um pouco melhor. Se te dou a ti, que és realmente a mais miserável das Minhas criaturas, que não darei Eu, então, àqueles que merecem verdadeiramente as Minhas Graças, àqueles que Me honram e se imolam por Mim! Pedi, bem-amados, e Eu vos darei. Acreditai naquilo que pedis, tende confiança e acreditai em Mim. Não sejais como Pedro que perdeu a confiança, enquanto caminhava por sobre a água. Tende confiança em Mim! Sede confiantes! Acreditai! (21 de novembro de 1987)

“Kathryn Kuhlman era conhecida por seu ministério de cura na região de Pittsburg. Toda semana ela presidia os serviços de cura. No entanto, ela dizia nunca tinha curado ninguém. “Eu me contento a escutar o que o Senhor me diz sobre aquele que Ele acaba de atender e em seguida, peço à pessoa assim curada que adiante-se” . É exato que ela rezava em seguida pelo cumprimento e a perfeição dessa cura, mas ela considerava que ela rezava por aqueles que já haviam sido curados. Todos consideravam que ela tinha um importante ministério de cura e, no entanto, ela tinha a convicção que o Senhor já tinha feito Sua obra e que nós só tínhamos que tomar posse.”[3]

Se 3.000 almas se convertessem à fé depois de ouvirem apenas um sermão de Pedro, você não acredita que Deus é capaz do mesmo hoje em dia? Se nós não acreditarmos que tudo é possível para Deus, então, naturalmente, isso não pode acontecer.

Quase cem mensagens contém as palavras “Tende confiança em Mim”, para que saibamos quão fundamental isto é se quisermos trabalhar pelos interesses do Plano de Deus.

Disse que te não preocupasses com o amanhã; não te preocupes, tem confiança em Mim. Desejaria que tu compreendesses que, só deixando-Me espaço para respirar em ti, Eu posso realizar livremente a Minha Obra. (27 de dezembro de 1988)

2) Humildade

O parágrafo precedente pode ser estendido se nos lembrarmos de que para permitir a confiança, o coração deve ser necessariamente humilde, isto é modesto, morto para si mesmo. Este é também um tema favorito de A Vida Verdadeira no Deus. O "Grande Milagre" (10 de janeiro de 1990) da Unidade não poderá ocorrer sem usarmos as chaves do amor e da humildade: 

Uma vez que tu Me permites que te faça desaparecer, a Minha maravilha realiza-se. (15 de junho de 1994)

A oração do homem humilde atravessa as nuvens, diz a Escritura. [Eclo 35,17]. (24 de abril de 2000).

Humildade não significa falta de audácia. De fato, algumas pessoas não ousam rezar pela cura de doenças, porque, dizem elas, que os doentes não podem receber grande coisa de sua parte. Efetivamente, nós podemos mesmo afirmar que eles não receberão absolutamente nada se pensarem que é graças à sua própria capacidade que esta ou aquela doença poderá ser curada. Repitamos sempre: “Sem Mim, diz Jesus, nada podeis fazer”! Conheço a tua inefável fraqueza e sei que, sem Mim, nem sequer poderias levantar um dedo. (30 de outubro de 1990)

Ao contrário, é uma falsa humildade não rezar por sua própria cura. Algumas pessoas dizem, com efeito, que Deus é seu Pai, Ele sabe tudo que elas precisam. Deus, nosso Pai, sabe efetivamente tudo aquilo de que precisamos, mas Jesus também nos ensinou a Lhe dizer: “O pão nosso de cada dia nos dái hoje”. Se a doença fosse vontade de Deus, nós nem mesmo teríamos o “direito” de tomar um comprimido para uma dor de cabeça. A doença não vem de Deus. Ele quer que tenhamos a humildade das criancinhas. O Santo Cura d´Ars dizia que “devemos ser como uma criancinha de dois anos nas mãos do Espírito Santo”. Com esta idade ainda não fazemos perguntas, não perguntas sempre porque.

Deus é doce e humilde. Ele não força, Ele não nos obriga a sermos Seus instrumentos de cura. Isto nos é indicado pelos “pedidos de autorização” que o Senhor e Sua Mãe Santíssima nos dirigem:

permita-Me usá-la, bem amada, para curar as almas. (15.02.87)

deixe-Me livre para agir em ti…, assim Eu curare Meus filhos. (17.03.87)

deixai-vos curar por Jesus; acolhei esta graça que Meu Filho vos oferece. (26.09.88)

Deixai que Eu entre no vosso coração, a fim de que possa curar-vos a todos! (25.10.88)

Finalmente, observemos que é falta de humildade pensar que “se somente o Senhor pode curar diretamente, devemos jogar fora todos os medicamentos e parar os tratamentos”. Eles querem, dizem, curar “pela fé”. Mas isto é um erro e uma imprudência que demonstra falta de sabedoria. Aceitemos que Deus nos cura como Ele deseja. No Livro do Eclesiástico, lemos: “(Toda a medicina vem de Deus) e ele recebe presentes de rei.” (Eclo 38, 2). E ainda: “Meu filho, se estiveres doente não te descuides de ti, mas ora ao Senhor, que te curará. Afasta-te do pecado, reergue as mãos e purifica teu coração de todo o pecado”. (Eclo 38, 9-10). Enfim: “Em seguida dá lugar ao médico, pois ele foi criado por Deus; que ele não te deixe, pois sua arte te é necessária. Virá um tempo em que cairás nas mãos deles". (Eclo 38, 12-13). Algumas vezes é suficiente aceitar uma cirurgia. E, então, devemos apenas pedir ao Senhor que guie a mão do cirurgião.[4]

 

3) Perdão

Arrependimento é intimamente ligado à cura:

Eu tenho o poder de curar-te, então venha e arrepende-te! (05.08.90)

De fato, nossos pecados podem bloquear a ação de Deus. É isto que nos, entre outras, a cura do paralítico nos ensina. Jesus disse a ele: “Filho, perdoados te são os pecados.” (Mc 2, 5) Jesus começa perdoando seus pecados. Em seguida Ele o cura de sua doença física. Primeiro Ele elimina o pecado, depois cura o corpo. O pecado é seguidamente, a causa da doença. Mas, atenção, não diga nunca a ninguém que ele está doença por causa de seus pecados. Isto não está certo! Um doente já tem muito o que suportar devido à doença para ser acusado de pecador.[5]

Um dia, Vassula pediu a Jesus que a curasse. Jesus lhe respondeu:

Se tu Me ouvires atentamente, e não Me puseres objeção alguma, nenhum rival nem dúvida alguma, se tu vieres e admitires que és uma pecadora, não mostrando hesitação alguma no arrependimento, Eu curar-te-ei.

Então Vassula replicou: “Senhor, curai cada um de nós; curai-nos a todos!

Enche o Meu Coração de alegria, rezando por todos aqueles que têm o seu coração fechado à razão e à Minha Sabedoria. (06.07.91)

Portanto, o coquetel perfeito parece ser uma doce mistura de fé e arrependimento. Talvez possamos ainda acrescentar aí o jejum:

Regressai a Mim de todo coração; jejueis e arrependei-vos; abri vossos corações a Mim e Eu vos curarei (02.02.89)

Nós dissemos que a fé era a resposta do homem a este desejo que Deus havia inscrito no coração de cada um. Deus nos atrai para Ele por esse desejo. E “vir a Ele”, é a expressão deste desejo. Mas, uma vez que o homem se arrependa, assim que ele reconhece com humildade e simplicidade sua condição de pecador, é então que Deus, Ele mesmo, que é atraído pelo homem, se põe a correr para reencontrá-lo:

Dizei-Me: "Jesus, eu, pecador, peço-Vos perdão. Não sou digno de Vos receber; mas sei que, por uma só das Vossas Palavras, eu posso curar-me". Dizei sempre estas palavras; dão-Me Glória, fazem-Me correr ao vosso encontro, a Mim, vosso Deus; enchem o Meu Sagrado Coração de Compaixão. Gritai- Me: "Kyrie Eleison! Christe Eleison! Perdoai-me, a mim, pecador!" (29.11.89)

Não nos perturbemos por causa de nossas frequentes quedas e de nossas múltiplas recaídas, isto será sinal de que ainda nos falta a confiança na misericórdia de Deus. Isto demonstra que inconscientemente colocamos limites à Sua capacidade de nos amar como somos e de nos perdoar a nós mesmos. É uma prova de que ainda colocamos nossa confiança em nós mesmos e não n´Ele.

Confia na Minha compaixão e deixa de te sentires culpada. Eu já te perdoei. (19.07.94)

Estar reconciliado com Deus é também uma condição prévia e indispensável. Mas reconciliar-se com seu irmão e sua irmã o é igualmente. Ora, como vocês sabem muito bem, ser capaz de perdoar não é coisa fácil. Um amigo me dizia um dia que ele não conseguia recitar a parte do Pai Nosso “como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”. Ele não conseguia dizer porque ele ainda tinha profundas feridas devidas a diversas disputas do passado. Parecia-lhe que pronunciando essas palavras ele mentia para Deus.

Mas, na verdade, o que é o perdão? Como seu nome indica, é primeiro um DOM. Pelo DOM da misericórdia que eu recebo, eu sou capaz, por minha vez, de transmiti-la a mais alguém. Uma senhora, um dia que apenas 70% do perdão haviam chegado e que lhe faltava ainda 30% qu e ela não conseguia dar...!!! Dado que eu não posso dar aquilo que não recebi, devo então, humildemente pedir a Deus. Tudo que Deus me pede é que me decida a perdoar. Para mais além de todos os sentimentos e ressentimentos, amargura e mágoa, eu decido perdoar a todos aqueles que me fizeram mal. Com toda serenidade, peço ao Senhor que mostre claramente as pessoas que esperam o meu perdão, mesmo que elas já tenham morrido.Há uma verdadeira liberação que se faz quando conseguimos dar nosso perdão. O perdão abre o Reino dos Céus, tanto para aquele que dá o perdão quanto para aquele que o recebe.

Não precisa estar louco de amor por Jesus. Mesmo que ainda sejamos mornos, infiéis, distraídos, não reconhecidos, não hesitemos e não esperemos sermos perfeitos, porque Sua misericórdia se derrama sobre nós:

Não hesiteis. Por mais imperfeitos que vós sejais, abrir-vos-ei os Meus Braços. Mesmo que o vosso amor seja tíbio, lançai-vos nos Meus Braços e Eu, que sou o Mestre do Amor, ensinar-vos-ei a amar-Me e mostrar-vos-ei como amar-vos uns aos outros. Vinde a Mim, mesmo vós que Me não amais: Eu perdoei-vos; vinde, e Eu curar-vos-ei! (17.0189)

Cada um de nós é convidado a rezar pelos doentes. O dom de cura é oferecido a todos os batizados. Não é privilégio de uma pessoa em particular. É um serviço para o povo de Deus. Jesus quer continuar a curar enquanto passa por seus discípulos... Não esperemos ter recebido o dom de cura para começar a rezar pelos doentes, porque ele não poderá vir, como um dom de Deus, senão quando o Senhor vir que estamos a serviço dos doentes e que nós já rezamos por eles.

O Meu Amor cura; conta Comigo e com mais ninguém. Reza mais e pede-Me mais. Porque te embaraças tanto Comigo? Vem a Mim, filha, e tu obterás. (20.02.96)

 

Considerações sobre a maneira de rezar

As maneiras de rezar são numerosas. Sublinhemos contudo alguns aspectos importantes.

 

1) Perseverança na oração

Glorificai-Me, apoiai-vos a Mim, perseverai e não vos canseis de levar a Minha Cruz, curando os Meus filhos. (02.05.87)

Minha Vassula, a perseverança enfraquece o demônio, o mal diminui. (02.06.88)

A Perseverança? Eu mesmo A infundirei na tua alma, até que esteja repleta de Zelo. (21.06.89)

Certamente vocês se lembram da parábola da viúva insistente que nos ensina que devemos “rezar sem cessar e jamais nos desencorajarmos.” (Lc 18,1) Nós também devemos insistir... incomodar o Senhor, cansá-Lo. Essa foi a atitude de Vassula intercedendo por uma conhecida:

Por favor, Senhor, curai C. . Se Vós estivésseis aqui, comigo, em carne e osso, ter-Vos-ia pegado pelo braço, ter-Vos-ia levado junto dela e ter-Vo-la-ia mostrado. O Vosso Coração não teria resistido e Vós tê-la-íeis curado.

- Minha filha, ela não te acredita, ela rejeita imediatamente qualquer coisa que tu lhe digas. Se ela se recusa a abrir-Me o seu coração a Mim, como poderei Eu entrar nele e consolá-la?

- Mesmo que Vos não ouça, sei que Vós podeis curá-la.

- Então, reza por ela, Vassula; Eu amo-a; por isso, continua a rezar. Lembrar-te-ei a Minha Santa Presença: Eu e tu, em união de Amor. Nós. (08.11.88)

Rezar sem cessar:

Vinde a Mim, com todos os vossos problemas, oferecei-Mos e repousai em Mim. Vinde, apoiar-vos a Mim; Eu sou o vosso Consolador e consolar-vos-ei, dando-vos a Minha Paz. Vinde ao vosso Doce Salvador e curarei as vossas feridas. Não vos canseis nunca de Me invocar e Me rezar; (28.12.88)

 

2) Pela imposição das mãos

Frequentemente este gesto acompanha a narrativa de curas nas Escrituras. Basta lembrar o exemplo em que o chefe da Sinagoga Jairo, rezou a Jesus com insistência: “Minha filhinha está nas últimas. Vem, impõe-lhe as mãos para que se salve e viva.” (Mc 5, 23)

Impõe as mãos sobre essa gente e abençoa-a, "em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo". Deste modo, honrar-Me-ás e glorificar-Me-ás. (18.04.92)

Levanta-te! Levanta-te e impõe as mãos aos doentes, e Eu curá-los-ei. (03.06.93)

Durante as Instruções que Eu te der, ensinar-te-ei a impor as mãos a teus irmãos e irmãs, a fim de que o seu espírito caia no Meu abraço. Os mortos 2 vão ser ressuscitados. Eu elevá-los-ei, embora não todos (9.11.1994)

 

3) Por amor, pelo sacrifício

Mesmo nossos atos cotidianos e, em particular, os que são mais penosos, unidos aos sofrimentos de Cristo, podem se transformar em fonte de graça:

Vassula, Eu Mesmo ressuscitei o espírito de uma verdadeira multidão, enquanto o teu espírito andava à procura do Meu [Jesus faz alusão ao Seu quase silêncio a meu respeito, na medida em que a Sua Presença me passou muitas vezes despercebida, durante vários dias. Este quase silêncio e o facto de Jesus Se esconder de mim eram dolorosos para a minha alma]. Eu curei e fiz milagres, graças ao teu suplício. Eu senti prazer em oferecer assim as tuas próprias expiações ao Pai e, pelas tuas reparações, conquistei os ímpios. (30.09.93)

Mesmo quando não nos damos conta, o amor faz verdadeiros milagres:

Hoje, tomei conta da essência do teu amor por Mim, a fim de Me servir dela para curar uma alma. (05.04.87)

Minha bem-amada, aumenta o teu amor por Mim e, assim, curarás as almas. (24.07.87)

Uma outra maneira de participar da cura das almas do purgatório. Frequentemente oferecemos Missas em sua intenção, e é muito bom, mas o Senhor nos revela que o nosso amor também lhes ajuda:

- Por que razão sou atacada?

- Explicar-to-ei. Minha filha, compreende que tu estás presente no Purgatório. O teu amor a Deus cura tantas almas desgarradas 3 e é por isso que és atacada; Eu estou perto de ti para te proteger; disse-te isto, agora mesmo, para que tu compreendas o motivo por que, às vezes, recebes uma palavra incorreta. Tu cura-as com o teu amor a Jesus e ao teu Pai Santo.

- Posso, então, proceder também deste modo?

- Sim, tu cura-as com o teu amor. (08.01.87)

Quando mostro a tua alma em Purgatório, muitas almas curam-se. Ensinei-te a amar-Me? e o teu amor por Mim cura-as. Sirvo-Me do teu amor como remédio para as curar. Cura-as, Vassula, cura-as. (10.02.87)

Servir-Me-ei do teu amor por Mim, para curar tantas almas que estão prestes a ser devoradas pelas chamas de Satanás. Tudo o que deves fazer é amar-Me com fervor. Haverá momentos em que virei confiar-te a Minha Cruz. (16.02.87)

- Deves acreditar-Me, quando Eu te digo que a tua alma cura outras almas, no Purgatório. (20.02.87)

 

4) Pelos Sacramentos

Sem nos aprofundarmos verdadeiramente neste tema, ainda é importante enfatizar que todos os sacramentos têm efeito de cura do corpo, da alma e do espírito. Em particular os sacramentos da reconciliação (veja sobre o assunto o parágrafo acima que trata do perdão), a unção dos enfermos e a Eucaristia:

escuta aquilo que Eu quero dizer à Igreja de Rodes: ... Aqueles que não beberem das Minhas Chagas definharão, desfalecerão e secarão. Eu sou a vossa Salvação. Por que razão, pois, esta nação tem medo de Me beber e de Me comer? Eles gritam por auxílio; mas, depois, ninguém vem beber-Me e comer-Me. E, assim, ninguém será curado... Acaso, não terei Eu dito que, através das Minhas Chagas, sereis curados? (30.07.90)

 

5) Pelas mensagens

Através da leitura das mensagens de A Verdadeira Vida em Deus, o Senhor nos cura. Esta cura é comparável à florada.

- A paz esteja contigo. Vê como fostes curada da tua falta. Vassula, como?

- Por estas mensagens.

- Sim. Então, como estas meditações poderiam ser más? Agradece e louva ao Senhor por te haver curado... Já ouvistes de flores que que se tenham curado?

- Sim.

- Eu, teu Anjo, formei-te por Deus. Fiz-te florescer. Perfumei-te. Curei-te, por Deus. Jesus abençoou-te. Louva Jesus. Eu fiz todas as coisas que Deus queria que fizesse.

“Não tenhas medo porque Eu estou sempre contigo. Confia-te na Bíblia. Diz-lhes que Eu curo os doentes. Não tenhas medo, Eu te curar-te-ei. As flores curam-se...

Era Jesus que falava; a seguir, o meu anjo voltou para dizer: 

- Jesus é teu Médico. E tu, sê a Sua delícia. Jesus fez-te florescer. (Meu Anjo Daniel, 08.07.86)

Todos vós partilhastes, juntos, pelas Minhas graças concedidas a todos, o poder de cura, através das mensagens que vos são dadas. (31.07.95)

Vassula, a Minha Palavra [Deus se refere à Sua Mensagem] será grande como os cedros. Os seus ramos estender-se-ão como braços abertos, atingindo numerosas nações, alimentando os pobres, curando vossas chagas e vossas enfermidades, apagando suas manchas e curando vossas misérias, apaziguando-vos, apertando-vos ao Meu Peito, amando-vos e ensinando-vos de novo como amar-vos uns aos outros e como amar-Me. Os meus braços libertar-vos-ão do mal, porque vós sois todos Meus, Meus bem-amados. (Meu Anjo Daniel, 10.01.87)

 

 

Conclusão

As passagens de A Verdadeira Vida em Deus que falam da relação entre oração e cura são bem mais numerosas que estas que foram citadas até aqui. Elas têm uma pequena nuance que as diferenciam umas das outras. Para uma meditação posterior eu as deixo em anexo.

Uma coisa é certa e segura: a oração feita com fé sempre produz frutos. Para alguns, imediatamente e de maneira extraordinária, para outros após certo tempo. As curas não as únicas provas do amor de Deus. “Ele pode escolher esse para ser testemunha do seu poder, talvez escolha aquele para ser testemunha da sua paciência, de sua caridade, de seu espírito de sacrifício. Procuremos primeiro o Reino dos Céus. Testemunhemos nossa situação concreta do amor de Deus, seja na alegria ou mesmo em meio ao sofrimento ou de nossa cura física. [...] aceitemos todos as curas físicas que o Senhor quer dar. Aceitemos como manifestação de seu amor. Aceitemos também o sofrimento como uma participação na salvação do seu povo. E demos graças ao Senhor por todas as bênçãos que Ele incessantemente nos cumula.” (Emiliano Tardif)

Por que o Senhor não cura a todos? Esta pergunta surge muito seguidamente quando se fala neste tema. “Mistério da fé”, poderíamos dizer. Nossos caminhos não são forçosamente os Seus Caminhos: “Não aflijas a tua alma, tentando compreender os Meus Caminhos, porque, procedendo assim, serias arrastada por vias tortuosas, que não mais teriam fim. Fica sabendo que os Meus Caminhos não são os teus caminhos; e a diferença entre eles, Eu Mesmo te digo que é imensa! Aceita em Paz aquilo que te dou.” (21.06.89) Em algumas situações a doença forma o nosso caráter. “Às vezes somos convidados a uma missão especial de reparação. Nossa forma de discernir neste tipo de situação é nos perguntando se o fruto do Espírito Santo é evidente. Em outros termos, quando o Senhor está presente nesta ou naquela circunstância e responde à nossa oração, mesmo que a cura física não aconteça, devemos discernir a obra de Deus. Por exemplo, poderemos ver essa paz que ultrapassa toda compreensão e que o mundo não pode dar, poderemos ver o amor, a alegria, a paciência, a resistência, a bondade, a generosidade, a fé, a doçura e a castidade, que são frutos do Espírito, os frutos da obra de Deus que podemos ler na epístola aos Gálatas, capítulo 5. Quando vemos estas coisas acontecerem, devemos ponderar e nos perguntarmos: “Esta pessoa foi convidada pelo Senhor a viver com esta doença e a servi-Lo através dela?” [6]

Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados” (Mc 16:17-18)

Sejamos simples, sejamos humildes e confiemos unicamente na força do nome de Jesus:

Ah! Filha!... Minha alma predileta, recusar-te-ei Eu, porventura, alguma coisa, se Me a pedires em Meu Nome? Nunca! (05.04.93)

Com efeito, Jesus nos prometeu, “Tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome, vo-lo farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.” (Jo 14, 13) A oração é uma grande força, a união fraternal é uma grande força, uma força muito grande, uma força infinita é o Nome de Jesus e Sua Presença no meio de nós. Ele nos assegura que onde dois ou três discípulos de Cristo estiverem reunidos em Seu Nome, Ele ali também estará (Mt 18, 20) e rezará conosco e o Pai não negará nada àqueles que rezam com Ele. Muitos não obtêm porque rezam sós, ou por motivos ilícitos, ou por orgulho, ou com pecado em seus corações. Sejamos puros de intenções em nossos corações para que Ele possa estar conosco e atender nossas orações.

Deus quer a nossa cura, a harmonia de todo nosso ser e, antes de qualquer coisa, quer, que tudo que nos aconteça nos faça progredir para um amor maior. E o amor sera fonte de cura para os próximos, pois algumas vezes, basta olhar para uma alma que ama verdadeiramente para que os conquistemos. Muitas vezes as almas não são más como o pensamos. Elas são apenas desgostosas, fastidiosas, doentes ou envergonhadas. Desgostosas daquilo que o mundo lhes reservou. Doentes porque Satanás esmagou-as. Envergonhadas por estarem doentes. Elas querem ser curadas, mas elas têm vergonha de confessa a sua doença. Demos a ela aquilo que elas não tiveram: um amor santo. Vamos ao seu encontro. Persuadamos a abrirem-se sem vergonha. Estas são flores fechadas. Mas se o Amor as aquecer, elas se abrirão.

Que o Meu povo reze por aqueles que não invocam o Meu Nome; e Eu Mesmo os curarei. O impossível tornar-se-á possível; o deserto transformar-se-á num jardim e os escombros, num altar para Mim, vosso Deus. Deves dizer aos Meus filhos que rezem, que rezem com o coração; e Eu ouvi-los-ei. (06.11.91)

 

 

MAIS PASSAGENS DE A VERDADEIRA VIDA EM DEUS PARA MEDITAÇÃO

Hoje, dirijo-Me aos sofredores e digo-lhes: Meu filho, não estejas deprimido, que Eu, a tua Santa Mamãe, amo-te, rezo ao Senhor e Ele curar-te-á. Purificai o vosso coração de toda a impureza, com o arrependimento; e, depois, abri o vosso coração ao Senhor, que Ele derramará sobre vós o Seu Amor. Rezai continuamente. Não durmais. Rezai com o coração e sede como rosas, em dias de primavera: como um raminho oferecido ao Altíssimo. As vossas orações sejam como mistura de incenso a subir ao Seu Trono. Deixai-Me lembrar-vos o que o Altíssimo deseja de vós: o vosso coração. Oferecei-Lhe o vosso coração e permiti-Lhe que seja o vosso Guia, no caminho que Eu Mesma vos estou preparando. Meus filhos, o Amor está às vossas portas. Louvai o Senhor e amai-O. Deus é Amor. (22. 07.90)

Cura de Vassula no seu nascimento: Paraskèvi é o meu segundo nome de batismo: significa sexta-feira. Esse nome, que é corrente na Grécia, foi acrescentado por minha mãe, em honra de Santa Paraskèvi, habitualmente invocada para curar os olhos. Quando eu nasci, as minhas pálpebras estavam coladas. Minha mãe não estava segura de que eu tivesse olhos; e rezou a Santa Paraskèvi, fazendo-lhe o voto de me dar o seu nome. Três dias depois, os meus olhos abriram-se (Nota 7, de 08.08.94)

Estava a ser de novo atacada pelos demônios. Eram como gatos que saltavam de cima da minha coluna. E sentia-me verdadeiramente cansada com eles. Era quase de acreditar que todo o inferno se tivesse desencadeado contra mim. Atacaram-me e, então, disse a um deles: "Em nome de Jesus Cristo, vai-te e sê lançado no fogo!". Partiu. Expulsei-os a todos, um a um, com as mesmas palavras. Jesus disse-me: "Pede em Meu Nome, mas com fé, e obterás. Trabalha assim, reza e pede. Reza em Meu Nome, trabalha em Meu Nome, pede em Meu Nome. Reanima o Meu Nome, sê o Meu reflexo, sincroniza-te Comigo, levanta a cabeça para Mim. Crê naquilo que pedes". Ele disse-me que os demônios têm medo de mim, que eu sou uma ameaça para eles. Mais tarde, compreendi onde estava. Senti os meus pés numa lama viscosa e,de repente, reconheci o lugar e o espaço circunvizinho do inferno. Compreendi, então, o motivo pelo qual havia hoje tantos maus influxos, enquanto escrevia. Jesus disse-me: "Acaso poderia ter isto sucedido noutro lugar? Estávamos juntos, passávamos perto das portas do inferno, curando as almas [.O Purgatório mais baixo, perto das portas do inferno] Vassula, consente-Me que também assim Eu Me sirva de ti. Também isto é uma parte do teu trabalho". (03.06.87)

Como deseja que atinjais o Zenit do Amor! Como deseja ouvir-vos gritar o grito de amor: "Abba!". Então, e só então, as Minhas Chagas começarão a curar... (Fevereiro de 1989, mensagem seguinte a do dia 9)

Deixai que os vossos corações se abram e que o Senhor entre neles; senão, como poderá curar-vos? (03.03.89)

Pensa naquilo que Eu Mesmo tive de sofrer, para realizar a Minha Obra e como, com as Minhas Chagas, vos curei a todos. (23.12.89)

Estou a curar todas as vossas doenças e apago, com o Meu Sangue, todas as marcas de veneno, para vos libertar a todos do Abismo. (17.10.90)

Hoje, Eu pergunto aos doentes, como perguntei ao doente da piscina de Betzatá (Jo 5,1-9): Queres-te curar? Eu posso curar-te instantaneamente, e todo o Céu ficará cheio de alegria e em festa! O Meu Dom é gratuito; vem, pois, a Mim, tal como és. Eu curar-te-ei, alma, para que possas participar no Meu Reino e viver em Mim, teu Deus. (11.11.90)

Minha filha, quando te cansas a trabalhar para Mim, Eu sirvo-Me dos teus esforços e da tua fadiga para curar outras almas. (27.11.90)

"E os seus frutos servirão de alimento e as folhas de remédio" (Ez 47,12); vós sereis como uma árvore, renovados pelo Meu Espírito Santo que nunca vos faltará, e as vossas folhas serão medicinais; sim, o vosso testemunho curará os doentes, convertendo nação a nação, mas não por vós mesmos: não sereis vós a falar, mas o Meu Espírito Santo que vive em vós. (24.01.91)

Espera, Minha Vassula, espera... o teu Rei não abandonará ninguém. Virá, trazendo na Mão um bálsamo medicinal e curar-vos-á, um a um. (12.06.91)

rezai, mais do que o tendes feito até agora, e Eu alimentarei os miseráveis, curarei os cegos e, através daquela que, para vós, é uma estrangeira, ensinarei a Minha Lei a cada um de vós. O Amor ama-vos (29.10.91)

O Meu Espírito é como um rio e todo o ser vivo que se move juntamente onde este rio chega (Ez 47, 9), doentes, aleijados, cegos, todos serão curados e se tornarão testemunhas do Altíssimo. (11.02.92)

Não tenhas medo e nunca penses que Eu te venha a conduzir para Mim, sem a Minha Cruz. Preocupa-te com aquilo que Me preocupa, pede-Me que cure os outros; pede-Me Graças, pede-Me as Minhas Bençãos... pede ao Pai que seja compassivo. (04.03.92)

Eu Mesmo curarei todas as deslealdades da vossa nação e o vosso Rei vos dará o descanso. (3.07.92)

Levanta-te! Levanta-te e impõe as mãos aos doentes, e Eu curá-los-ei. Fala! E o clamor das Minhas Palavras, na tua boca, fará cair no Meu abraço o seu espírito. [Jesus alude ao repouso do Espírito, que tem tocado numerosas pessoas, durante as reuniões] (03.06.93)

Vassula, Eu fui enviada por Deus para curar muitos de vós, mas os Meus apelos não têm sido estimados e nem sequer se lhes tem dado qualquer valor. (6.12.93)

"A vossa apostasia endureceu-vos os corações e, nesse dia, a profecia de Isaías mantém-se e está em vias de se cumprir. Tereis ocasião de ouvir mas não compreendereis, tereis ocasião de olhar mas não vereis; é que o coração desse povo endureceu-se: taparam os ouvidos e fecharam os olhos, com medo de ver com os seus olhos e de ouvir com os seus ouvidos, de compreender com o seu coração, de ser convertidos e de que Eu Mesmo os curasse [Isaías 6:9-10; Mt 13:14]". (31.05.94)

Jesus diz-te, geração, que ainda não estás curada da tua doença. Sem dúvida que ainda não estás curada da tua apostasia (03.06.94)

Eu ressuscitei-te, para seres Minha testemunha e, através da tua própria boca, curar os corações despedaçados, ressuscitares os mortos e seres uma ameaça para o Meu Inimigo. (22.06.94)

Continuarei a nutrir esta geração da herança de Meu Pai do Céu. O Pão que cura vem do Alto. (10.08.94)

Há tantas curas a fazer ainda (...). (18.08.94)

As Minhas intenções são reavivar essa chama e levá-los a converter o seu espírito, de modo a que, uma vez curados, Me reconheçam como o Sumo Sacerdote, o Cristo, e o Rei dos reis. (21.03.95)

Pethi Mou [Minha filha, em grego] , na Sua Mensagem, os desígnios do Todo-Poderoso são tão profundos, que muitos serão curados. (12.05.95)

O Amor apagará as tuas manchas e as tuas imperfeições. O Amor cura; corrige. O Amor dá bons frutos, frutos que duram... (16.06.95)

Mostrarei à Miséria o Meu grande Amor, e curarei as suas chagas [chagas do pecado, na sua alma] (04.04.97)

Também a cura vem da Sabedoria... (5.08.00)

Não te inquietes, Eu curarei tua culpabilidade porque o desejas, e fluirei em ti como um rio, refrescando tua aridez e esterilidade. (fevereiro-abril 2003)

O flagelo desta geração chama-se racionalismo; e o racionalismo é mortal. O racionalismo provém do Príncipe das Trevas, e todos os que vivem nas trevas têm, entre outras, também esta doença. (29.09.89)

Ninguém deveria dizer que Eu procuro apenas as pessoas santas: é já bem conhecido que Eu vou visitar os doentes e miseráveis. A sua miséria atrai-Me; a sua incapacidade de Me alcançar torna-Me ainda mais impaciente em os atrair a Mim e os apertar contra o Meu Coração. Eu sou Jesus e Jesus significa Salvador; Eu venho para salvar e não para condenar. (07.12.89)

Não terás ainda compreendido que o Meu Coração sofre de Amor? (03.04.90)

Minha Compaixão pelo miserável e pelo doente é grande, para lá de toda a compreensão humana. Pede e ser-te-á dado. Eu abro a Minha Boca, que deseja ardentemente as vossas orações. (30.04.90)

Deste modo, ide ter com o pobre e com o sofredor e assegurai-vos de que a Minha Casa fique bem cheia! Aqueles que foram convidados, em primeiro lugar, para o Meu Banquete, mas acabaram por se recusar a vir, ficarão surpreendidos, ao verem o cego a readquirir a vista; o pobre, a ficar rico do Meu Conhecimento; e o morto, ressuscitado para a Vida! (17.08.90)

Se tiverdes confiança no Meu Amor, Eu Mesmo vos conduzirei ao Aposento d'Aquela que Me concebeu, para vos curar e reconduzir à saúde. (06.07.91)

Eu Sou. Não temas; depressa tudo será posto à luz e todos quantos te rejeitaram, recusando acreditar na Minha Mensagem, rezarão ao Pai, pedindo perdão. Vassula, tivessem sido eles "cegos", que Eu os teria curado; mas a verdade é que eles afirmam saber "ver" tudo. (05.09.88)

 

Pai Todo Misericordioso,

fazei que os que ouvem

e ouvem mas não compreendem,

desta vez, ouçam a Vossa Voz

e compreendam que sois Vós,

o Santo dos Santos.

Abri os olhos dos que olham,

e olham, mas não vêem;

desta vez, fazei que vejam com os seus

próprios olhos

o Vosso Santo Rosto e a Vossa Glória.

Ponde o Vosso Dedo sobre o seu coração

para que o seu coração se abra

e compreenda a Vossa Fidelidade.

Eu Vo-lo peço e Vos peço todas estas coisas,

Pai Justo, para que todas as nações se convertam

e curem, nas Chagas de Vosso Filho

Bem-Amado Jesus Cristo. Amém.

 

(15.05.90 e 08.07.90)

 

Jesus, meu único Amor,

Eu rezo por aqueles que Vós amais,

mas não sabem amar-Vos;

que possam ser purificados e curados,

a fim de que também eles

sejam livres de todo o mal.

Amém.

(08.08.93)

Rezai, rezai, rezai, mas fazei-o com amor. Abri os vossos corações e Eu curá-los-ei. Respondei ao mal com amor; procurai o bem e a Bondade do alto responder-vos-á e transformar-vos-á à Nossa Semelhança. (30.05.95)

Eu curar-te-ei espiritualmente. (Meu Anjo Daniel, 08.06.86)

Jesus curou-te da vida falsa que tu levavas. Desejei tanto que Jesus te curasse. Glória a Deus! (Meu Anjo Daniel, 29.07.86)

Vê: as tuas pernas estão curadas; podes caminhar de novo. Vê: a tua vista reapareceu. Curei-te da tua vergonha e lavei os teus pecados. Serve-te das tuas pernas, para vir ao Meu encontro; dos teus olhos, para Me ver; da tua fé, para Me encontrar. (20.09.86)

Elevei-te para Mim, as tuas mãozinhas agarraram-se a Mim. Senti-Me aliviado, vendo que a Minha pequenina tinha necessidade de Mim. Reconduzi-te a casa e curei-te com todo o Meu amor. Dei-te água para acalmar a tua sede, alimentei-te e fiz-te reencontrar carinhosamente a saúde. Eu sou Aquele que te cura, Eu sou o teu Redentor, sê-lo-ei sempre, não te abandonarei nunca, Eu amo-te. (12.10.86)

Eu sou a vossa esperança de cura; por isso, erguei-vos e servi-vos: dos membros, para caminhar Comigo; dos olhos para ver o Caminho; dos ouvidos, para ouvir o Meu Apelo; do coração, para compreenderdes que Eu sou Pai. Eu curo, Eu curarei os vossos olhos (que acabastes por arrancar), a fim de vos fazer ver a Verdade; (Meu Anjo Daniel, 26.10.86)

O teu amor por Mim cura e salva muitas almas da perdição. (18.02.87)

A Minha Palavra será como um cedro que estende os seus ramos como braços, para curar a vossa maldade, nutrir a vossa miséria e libertar-vos do Mal. (21.02.87)

Ama-Me com fervor, repara e, assim, essas almas que se encontram no Purgatório serão curadas, libertas do fogo purificador e, finalmente, poderão vir a Mim. Vassula, sabes quanto elas sofrem, quando estão no Purgatório, pelo seu desejo de Me verem, mas sendo disso impedidas, porque incapazes? Ó como elas dependem de ti! Ah! Vassula, irás ajudá-las? (22.07.87)

Minha bem-amada aumenta o teu amor por Mim e, assim, curarás as almas. Ama-Me e liberta-as. Agora, trouxeste-Me cinco almas. Dá-Me alegria, dando-Me almas. Quero salvar todas as almas miseráveis que estão às portas de Satanás. Amo-vos tanto a todos! (24.07.87)

Era de Miséria, Eu reanimar-te-ei! Derramarei, nos vossos corações mortos, a Minha Linfa, que vos curará! Oh! Como vos amo a todos! (10.03.88)

O Meu Espírito Santo é como uma linfa que desce sobre vós para vos manter em vida. (11.06.93)

Reflete: Eu curei-te, para que o mundo possa ver que Eu estou sempre no meio de vós. Curei-te, para Me servir de ti, atirando-te para fora dos meus Braços sim, para fora dos Meus Braços, no mundo, como Minha rede. Minha filha permite-Me que te utilize deste modo: Eu lanço a Minha rede, de vez em quando e alegro-Me, por encontrar alguma presa. (12.04.88)

Cura o Meu Corpo, aplaca a Sua dor. As Minhas Cinco Chagas estão todas abertas, compreendes? Ama-Me, ornamenta-Me, embeleza-Me, lembra aos homens que os primeiros Cristãos Me amavam mais que à sua própria vida. (30.06.87)

Não esqueças o Fim dos Tempos, não vos esqueçais de como a Sua mensagem curará e unirá o Seu Corpo. (Nossa Senhora, 03.02.88)

Deixai que Meu Filho vos guie e vos cure, purificando-vos: deixai-vos curar por Jesus; acolhei esta graça que Meu Filho vos oferece. (Nossa Senhora, 26.09.88)

Minha menina, chamo cada um de vós, procuro cada um de vós. Deixai que Eu penetre nos vossos corações e cure cada um de vós. (27.09.88)

Eu chamo, chamo e grito, numa imensa agonia, a todos vós, que volteis a Mim e vos arrependais. Eu grito, neste deserto, mas a Minha Voz ressoa como um eco que se perde no nada... Se Me ouvísseis e abrísseis o vosso coração, a fim de que pudesse curar-vos! (05.10.88)

chamo-vos, durante todo o dia, estendendo as Minhas Mãos para vos levantar e curar, mas vós, pelo contrário, ignorais-Me e rejeitais-Me. (15.11.88)

O Meu Amor por vós é tão Grande que Eu, o Santo dos Santos, o Eterno e Soberano de toda a Minha Criação, Me inclino para vós para vos alcançar e curar as vossas enfermidades. (21.11.88)

Filhos bem-amados, não venhais a estas reuniões, apenas para ver sinais; se Eu venho do Céu, até à soleira da vossa porta, é para trazer-vos a Paz do Senhor e a Minha Paz. (03.11.90)

Muitos de vós ledes e reledes esta revelação profética com os olhos, mas nunca vedes porque, sempre que ledes, ledes apenas com o interesse de encontrar sinais extraordinários ou indicações sobre prodígios e milagres, em lugar de invocardes o Espírito Santo, para que Ele Mesmo vos dote com um espírito de discernimento e de percepção, que vos faça, de preferência, penetrar no mistério de Cristo e no mistério da Sua Ressurreição, e assim permita à vossa alma progredir espiritualmente, para alcançardes a terra prometida... (04.04.97)

 

 


 

[1] CIC 26

[2] CIC27

[3] Michael Scanlan, Como rezar pela cura.

[4] Michael Scanlan, Como rezar por Cura

[5] A Congregação para a Doutrina da Fé emitiu um documento, em 14 de setembro de 2000, dando “Instruções para as orações para obter de Deus a cura”. Nela dois parágrafos são consagrados ao tema da aparente injustiça do homem sofredor. No livro de Jó, esta questão ocupa numerosas páginas. “Se é verdade que o sofrimento tem um sentido de punição, já que ela é ligada à falta, não é verdade, ao contrário, que todo sofrimento é uma consequência da falta e tenha um caráter de punição. A figura de Jó, o justo, é uma prova especial no Antigo Testamento... E se o Senhor consente em provar Jó pelo sofrimento, Ele o faz pra mostrar a justiça ao final. O sofrimento tem um caráter de prova” (João Paulo II, Carta Apostólica Salvifici doloris, n. 11, AAS, 76 (1984), p. 212). Na doença habita um mal, mesmo que ela possa ter uma aparência positiva enquanto demonstração da fidelidade do justo, meio de restabelecer a justiça violada pelo pecado, e também meio de incitar o pecador a se corrigir e a seguir o caminho da conversão. Eis porque o profeta anuncia os tempos futuros onde não haverá mais a doença e a enfermidade e onde o curso da vida não será mais quebrado pelo mal da morte. (cf. Is 35, 5-6; 65, 19-20).”

[6] Michael Scanlan, Como rezar por cura