RETURNAR AO SITE:http://www.tlig.org/pt/spirituality/pilgrimages/holyland2013/vassulas-main-speech/TAMANHO DA LETRA: NORMAL - GRANDE

Português » Espiritualidade » Peregrinações & Retiros » 9a. Peregrinação Ecumênica de A Verdadeira Vida em Deus na Terra Santa » Principal Palestra de Vassula proferida em 2013 na Peregrinação Ecumênica de AVVD na Terra Santa  »

 

Palestra de Vassula sobre a Unidade proferida em 2013 na Peregrinação Ecumênica de A Verdadeira Vida em Deus na Terra Santa

Desde 1985, o Senhor me chamou para alistar-me no Seu programa de Unidade e esta era a última coisa que eu esperava que acontecesse em minha vida. O Senhor nunca deixa de surpreender-me.

 

Já em 14 de outubro de 1991 o Senhor Jesus disse:

"a tua missão é reconduzir o Meu povo a um só Nome, o Meu Nome, e a partir o pão."

A mensagem básica de "A Verdadeira Vida em Deus" é a Unidade. É um chamado para transformar nossas vidas em uma oração incessante. É um chamado a um verdadeiro arrependimento, a arrepender-nos da nossa divisão, e a reconciliar-nos com Deus e com o próximo. É um apelo urgente para que as Igrejas se unam na diversidade. Jesus diz: "Instruí-te, assim como o tenho feito também com outros; agora, não te detenhas; propaga os Ensinamentos que te tenho dado… evangeliza com amor pelo Amor" (14.10.1991).

"uni as Minhas igrejas; o verdadeiro cristão é aquele que é cristão no seu íntimo e a verdadeira União é e será nos corações. A Unidade não se fará pela letra, mas pelo espírito." (13.10.1991).

Muitos perguntam, por que Deus está falando em nossa era? O Senhor Deus vem para repetir Sua Palavra e lembrar-nos Seus preceitos e Sua Lei. Isso é o que Ele disse: "Diz-lhes que o Deus que eles esqueceram jamais os esqueceu a eles."

Nosso Senhor Jesus chama os seus sacerdotes e pergunta aos seus pastores:

"Haverá alguém desejoso de agir, com vigor e amor, para reconstruir esta Casa vacilante? Haverá aqui alguém que esteja desejoso de defender esta Casa? Haverá alguém que compreenda agora o que Eu digo? Haverá alguém, na Casa do Senhor, que esteja disposto a estender o Reino de Deus?" (20.10.1998)

"desejo que toda a Minha Igreja seja unida. Aqueles que se obstinarem a permanecer separados separaram já o Meu Coração do seu. Dai-vos conta da gravidade da vossa divisão, da urgência do Meu Apelo e da importância deste Meu Pedido. Preciso do vosso coração para vos unir e para reconstruir a Minha Igreja Unida, no interior do vosso coração. Tudo aquilo que vos peço é o amor, para romper as barreiras da vossa divisão..." (20.10.1991)

O então Patriarca Ecumênico de Constantinopla Athenágoras, que esteve tão perto de realizar a unidade com o Papa Paulo VI, certa vez escreveu: "Se estamos satisfeitos em repetir nossas fórmulas, endurecendo-as contra os nossos irmãos cristãos, então, nossa herança será algo morto. É a partilha, humildade, reconciliação, que nos faz verdadeiramente Ortodoxos, conservando a fé não só para nós mesmos - se fizéssemos isso, estaríamos simplesmente afirmando apenas mais uma histórica confissão de fé - mas para a união de todos, como testemunho próprio de uma Igreja unida".

Em nossos esforços, devemos estar dispostos a orar juntos mais vezes, porque as orações são ouvidas e respondidas, enquanto que os diálogos e as fórmulas são apenas palavras faladas. Isso não significa que devemos eliminar os nossos diálogos ou fórmulas, em hipótese alguma.

Mas, o que é mais importante para nós, a letra ou o espírito? Se dissermos que é a letra, então trabalharemos como administradores negociando com as coisas de Deus e não seremos justificados nem nunca vamos realizar coisa alguma, porque é o mesmo que dizer para o Espírito, "Veja bem, eu não sou mais uma criança e posso caminhar por mim mesmo." A letra então, matará o Espírito e nos tornaremos verdadeiros administradores lidando apenas com papéis e deixando cada reunião de coração vazio.

Em 14.10.1991, Jesus disse: "Diz-lhes que o Coração do Senhor é Amor e que o Coração da Lei está baseado no Amor. Diz ao Meu Povo que Eu não quero administradores na Minha Casa; no Meu Dia, eles não serão justificados, porque foram eles, justamente, que industrializaram a Minha Casa."

Então, o que é mais importante, a lei ou o espírito? Se dissermos que é a lei, já estaremos julgando o nosso irmão sentado ao nosso lado e pertencente a outra igreja, enquanto ele, por sua vez, também nos julgará e iremos ouvir de cada um de nós: "Estamos na plena verdade e nós somos os que estamos certos". E, mais uma vez, estaremos fragmentando a Cristo e novamente, não conseguiremos nada.

Se começarmos com a doutrina e o seu conteúdo, talvez mais uma vez acabemos ainda mais separados e fragmentados, nunca atingindo o essencial. Não quero dizer com isso que devemos violar a doutrina, uma vez que a doutrina é a própria existência da Igreja. Mas, se permitirmos que o Espírito Santo nos conduza pela nossa obediência, em vez de conduzirmos o Espírito Santo, então o Espírito irá animar a letra e a lei, e ele vai nos mostrar a verdadeira doutrina, que Jesus Cristo é o único princípio ativo em nós apesar das nossas diferenças de terminologia doutrinária. Para este ato de caridade, necessitamos de intensa pobreza de espírito, humildade e uma grande dose de generosidade.

Portanto, deixemos que os nossos diálogos doutrinais comecem com o Espírito Santo. Deixemos que seja Ele o único a nos conduzir para nos mostrar, em nosso coração, que a essência da doutrina deve estar baseada no amor e humildade, que são as chaves para a unidade.

Em seguida, no dia 20.5.1987, mais uma vez o Senhor disse: "Como pode um corpo funcionar, se um ou dois dos seus membros estão paralisados, feridos ou separados? Terá a mesma capacidade e a mesma força que um corpo são? A Minha Igreja é o Meu Corpo. Como funcionará o Meu Corpo, se foi posto em condições de não funcionar?"

Sete meses mais tarde, 23.12.1987: "Sabeis por que os Meus cordeiros estão dispersos e o Meu Corpo mutilado? Sabeis por que reina, na Minha Igreja, a ausência da harmonia? É justamente porque eles caminharam na noite, sem qualquer luz. Procurai a Mim, que sou a Luz, e Eu vos guiarei. Lançai para longe a vossa hipocrisia e a vossa obstinação. Sede dóceis e humildes. Abri o vosso coração e deixai que a Minha Linfa vos encha. Eu sou o vosso Bom Pastor que vos ama;"

Em 12.04.1990: "Se vós Me permitirdes entrar no vosso coração, Eu mostrar-vos-ei as Minhas Chagas, que aliás Me foram feitas na casa dos Meus melhores amigos. Vós mesmos ficareis aterrorizados com a sua profundidade e horrorizados com os inúmeros sinais que foram selvaticamente infligidos no Meu Corpo. As Chagas do Meu Corpo são tais, que Me deixaram aleijado;"

Quando o Papa Francisco falou em sua audiência semanal, em 19 de Junho ele disse: "a Igreja é o Corpo de Cristo, mas, quando os católicos lutam entre si ou católicos e outros cristãos estão em conflito uns com os outros, fazem o Corpo de Cristo sofrer. Não façam com que o Corpo de Cristo sofra com nossas divisões e conflitos."

"Unidade é uma graça que devemos pedir ao Senhor a fim de que nos livre da tentação de divisão, brigas entre nós, o egoísmo e reclamações uns com os outros - quanto dano, quanto mal estas conversas causam," disse ele. "Quanto dano é causado pelas divisões entre os católicos e entre as comunidades cristãs. Os cristãos evangélicos, cristãos ortodoxos, cristãos católicos - por que razão estamos divididos? Temos de tentar alcançar unidade"

"Rezemos para que o Senhor nos dê unidade," disse ele. "Oremos ao Senhor para fazer de nós membros do Corpo de Cristo, cada vez mais unidos a Cristo, ajudar-nos a não fazer o Corpo de Cristo sofrer com os nossos conflitos, nossas divisões," disse ele.

(Então o Papa está pronto para a unidade, e nós? Estão as outras igrejas prontas assim como ele está?)

Em 4.12.1987 o Senhor lamentava dizendo: o Meu corpo está cansado e ferido. (...) O Meu Corpo é a Igreja; (...) desejo consolidar a Minha Igreja..

Nosso Senhor não teria usado a palavra "consolidar" se a Igreja fosse forte e saudável, mas é preciso reconhecer que, permanecemos divididos, temos de fato enfraquecido a Igreja, jogando-a por terra, tanto, que várias vezes Nosso Senhor afirma que a Sua Igreja está em ruínas e muitos membros da Igreja estão quase em estado de putrefação.

Quando o Senhor me perguntou, "qual casa é a mais importante, a tua ou a Minha Casa?" e a minha resposta foi: "Vossa casa, Senhor". Ele disse: "restaura a Minha Casa, embeleza a Minha Casa e une a Minha Casa." Ele não quis dizer reconstruir a minha casa, mas disse: que, "restaure" Minha casa, uma forte expressão, mostrando em que estado nós danificamos a Igreja… isso é tão deplorável ...

Em 2.6.1987, Jesus pediu-me para desenhar três barras de ferro rígidas próximas uma da outra. Elas representam as Igrejas Protestantes, a Igreja Católica Romana e a Igreja Ortodoxa. Em seguida, ele pediu-me para desenhá-las novamente, unindo a ponta das barras, juntando-as, e Ele disse::

Para vos unirdes, todos vos deveis dobrar. Todos deveis estar desejosos de vos dobrardes, aplacando o vosso ânimo

Sim, amenizando a nossa rigidez, pois somos rígidos como barras de ferro que não se curvam. Oito dias depois, o Senhor me chamou e disse: virás ver-Me na Minha Igreja? Vassula, vem a Mim. Confusa, Eu perguntei: Que Igreja, Senhor? Qual pretendeis?

Todas são as Minhas Igrejas. São Minhas, pertencem-Me todas e só a Mim. Eu sou a Igreja. Eu sou o Cabeça da Igreja.

- Eu disse: Meu Deus, o Senhor me parece tão triste!! E Ele estava mesmo!!

- Ele respondeu: Triste? Ó Vassula, por que razão, por que razão eles cruelmente desmembraram Me? O meu Corpo dói, foi dilacerado...

Naquela mensagem o Senhor recorda-nos que Ele é a Cabeça do Corpo Místico que é a Igreja. Mas nós, em nossa arrogância e soberba, nos asseguramos de desmembrar a Cabeça, pois, sem a Cabeça, que é Cristo, ninguém pode nos impor nada, ou nos censurar ou nos corrigir. O Corpo não tem uma palavra a dizer. Nós conseguimos silenciar Cristo.

Como é que podemos sentir o nosso caminho e onde estamos caminhando se retiramos a Cabeça? Não podemos dizer que estamos caminhando para a luz uma vez que ainda estamos divididos e fragmentados. O Senhor disse em 7 de Outubro de 1991:

"Diz-lhes ainda quanto Eu não amo os corações sem sinceridade; as suas solenidades e os seus discursos cansam-Me. Diz-lhes quanto sinto relutância pela sua soberba e rigidez. Na verdade, a sua maneira de julgar parece exata e impressionante aos homens; mas, a Mim, não. Eu não posso congratular-Me com uma Igreja moribunda, que tanto se aproxima da decomposição. Diz, a todos quantos queiram ouvir, que,

se não baixarem a sua voz,

jamais poderão ouvir a Minha.

Se baixarem a sua voz, então, começarão a ouvir a Minha e, assim, farão a Minha Vontade. Eu sou Uno; todavia, cada um deles se encarregou de criar um Cristo, segundo os seus gostos. Eu sou a Cabeça da Minha Igreja; mas tudo quanto vejo são as suas próprias cabeças e não a Minha. Diz-lhes que baixem as suas cabeças e, desse modo, poderão ver a Minha. Diz-lhes que se baixem, para que Eu possa estar em condições de os elevar para Mim".

Mais uma vez, na mesma audiência, em 19 de Junho deste ano, o Papa Francisco disse: " e como qualquer corpo real", ele explicou, "a Igreja tem uma cabeça - Jesus Cristo, que guia, alimenta e a sustenta - e se os católicos não estão firmemente unidos a Jesus, a cabeça, em seguida, o corpo morre".

"Permaneçamos unidos a Jesus," disse o Papa. "Confiemos N'Ele, dirijamos nossas vidas de acordo com o Seu Evangelho, alimentando-nos com a oração quotidiana, a escuta da Palavra de Deus e a, participação nos Sacramentos."

A delegação ortodoxa que veio de Constantinopla para se encontrar com o Papa Francisco no dia da festa de São Pedro e São Paulo disse: "unidade não é um luxo, mas um imperativo..." o Papa disse-lhes: "a busca da unidade entre os cristãos é uma tarefa urgente, a urgência maior do que em qualquer outro tempo, não podemos ignorar isso. O nosso testemunho exige que, finalmente sejamos capazes de proclamar a uma só voz, a boa nova do Evangelho e celebrarmos juntos os divinos mistérios da nossa vida em Cristo.

Em 20.10.1990, o Senhor disse: "com os teus sacrifícios e as fervorosas orações que Me ofereces com amor, poderás evitar os desastres que estão para acontecer, poderás afastar as calamidades naturais, poderás aplacar a explosão da cólera de Meu Pai. Deus deixa-Se enternecer. Ele poderá deixar-Se enternecer pelas tuas orações. Poderás embelezar a Minha Igreja; Podes reunir o Meu Povo sob o Meu Nome, para celebrar a Missa, à volta de um único altar..."

Bem antes dessas palavras do Papa, no dia 19 de Abril de 1988 Jesus disse:

"Vês, que alegria Eu irei sentir, quando vos reunirdes em torno de Um Só Altar, em torno do mesmo Altar! Vós louvar-Me-eis, reconhecendo os vossos erros, arrependendo-vos das vossas rebeliões, recordando-vos do Meu Amor por vós e amando-vos uns aos outros, como Eu vos amo. Filhos, sede perfeitos!"

E ainda mais forte Jesus clamou um dia, em 14.10.1991:

"Uni-vos! Reuni-vos! Invocai, juntos, o Meu Nome! Consagrai, juntos, o Meu Corpo e o Meu Sangue! Não persigais a Vida! Mortificai-vos e dobrai-vos, para estardes em condições de vos unir e Me glorificar. Vós falais do Espírito, mas não procedeis segundo o Espírito; falais do Caminho, mas tramais para o obstruir! Quão pouco Me conheceis!...

Invocais o Meu Nome e, entretanto, matais os Meus filhos, entre o santuário e o altar. Solenemente, Eu vos digo que tudo isso vos será lembrado, no Dia do Juízo; Podereis vós, diante de Mim, dizer-Me em verdade: "Estou reconciliado com os meus irmãos?"; Podereis dizer-Me, em verdade: "Não fiz diferença alguma entre mim e os meus irmãos, sob o Vosso Santo Nome; tratei-os como a mim mesmo?"; Quando Me apresentardes a vossa causa, então, vos direi abertamente: "Afastai-vos de Mim! Vós não tratastes os vossos irmãos como a vós mesmos; tendes massacrado diariamente o Meu Corpo. Onde está a vossa vitória? Quando Eu construía, vós demolíeis; Eu reunia e vós dispersáveis; Eu unia e vós dividíeis!"

Contudo, se ainda hoje regressardes a Mim tais como sois, Eu poderei curar-vos, poderei transfigurar-vos e vós acabareis por Me glorificar."

Se permanecermos no pecado da divisão, como poderemos esperar que o Corpo de Cristo seja reconhecível em nós que o desfiguramos de forma tão deplorável? Não nos deixemos transformar em matéria inanimada ou em sepulcros por não colocar em prática as palavras de Nosso Senhor. Tornemo-nos o ícone perfeito da unidade e façamos o que Ele disse.

Em 30.6.1987 o Senhor disse: Vassula, a ponta da lança penetrou nas profundezas do Meu Corpo, no Meu Coração. Está sempre lá. Eu quero que Me seja tirada. Glorifica o Meu Corpo, estabelecendo a Paz, a Unidade e o Amor.

Este modo de falar metafórico é bastante comum na língua de Jesus. No entanto, mais cedo ou mais tarde, Ele me explicaria seu significado. Ele fez-me entender que a ponta da lança representa a nossa divisão. Ela ainda está no fundo do Seu Coração, o que significa o interior da Igreja. Em seguida, o Senhor expressou a Sua Vontade, Ele disse: Eu quero a lança removida... 26 anos se passaram desde que esta mensagem foi dada e a ponta da lança ainda permanece no Seu Coração. 

Na mensagem de 14.11.1991 Jesus disse: Tinha-vos deixado uma única Igreja; mas, logo que vos deixei, logo que virei as costas para regressar ao Pai, vós reduzistes a Minha Casa à desolação! Atiraste-La por terra, e o Meu povo anda errante, para a direita e para a esquerda... Por quanto tempo terei Eu ainda de beber o Cálice da vossa divisão? Cálice de aflição e de devastação! 

No entanto, não importa o quanto a Igreja esteja empenhada em atingir a Unidade, até que a Festa da Páscoa não seja unificada e não a celebremos juntos, nossa divisão permanecerá e não haverá progresso, porque Cristo vem pedindo aos seus pastores há muitos anos para unir as datas da Páscoa prometendo-nos que, se isso for feito, Ele vai fazer o resto para unir todos nós na diversidade.

Tomei sobre Mim as vossas culpas; reconciliei-vos com o Pai; e sacrifiquei a Minha Própria Vida por vós. Que mais poderia Eu fazer que não tenha feito? (20.1.1992) E, agora, lanço um particular apelo a todos quantos vivem sob o Meu Nome e trabalham pela União e pela Paz: Eu peço-vos que venhais a Mim como criancinhas, que Me contempleis, face a face, e respondais a estas perguntas: Irmãos, fizestes tudo quanto vos era possível para salvaguardar a União do Meu Corpo? (10.3.1990)

Irmão, terei de suportar, uma época mais, a dor que tenho suportado ano a ano? Ou Me dareis repouso, desta vez? Terei de beber ainda uma época mais o Cálice da vossa divisão? Ou deixareis descansar o Meu Corpo, unindo, por Meu amor, a Festa da Páscoa? Irmão, unindo a data da Páscoa, aliviarás a Minha Dor e rejubilarás em Mim e Eu em ti, e recobrarei a vista a uma multidão". (14.10.1991)

No dia (27.10.1987) quando eu disse ao Senhor, que sim, nós estamos sob a Vossa Autoridade; mas existe um sistema que nos obriga a pertencer a uma das comunidades cristãs, Ele disse:

todas são a mesma aos Meus Olhos, Eu jamais quis que Meu Corpo, fosse dividido, Vós que o desmembrastes! Vós deliberastes sobre o Meu Corpo! Vós fizestes-Me aleijado... 

Eu continuei e disse-Lhe: Senhor, não me agrada argumentar, mas não poderei dizer-lhes que sou ortodoxa? Eu sou ortodoxa.

Ele levantou a voz e gritou:

Ortodoxos! Católicos! Protestantes! Vós todos Me pertenceis! Todos vós sois um só em meus olhos! Não faço qualquer distinção.

Obviamente, podemos dizer que muitos não levaram a sério estas palavras de Cristo… Quão falsa e corrupta uma pessoa pode ser! Apesar de o Evangelho chamar-nos a permanecermos unidos, apesar das inspirações do Espírito, a nossa divisão permanece. 

Considerando a nossa remanescente divisão temos que admitir que a nossa humanidade está todo o tempo interferindo nos planos de Deus, o nosso ego, nossa teimosia semelhante à teimosia do Faraó, o nosso orgulho, ou os nossos receios, todos se tornaram barras de ferro grandes e sólidas ignorando os gemidos do Espírito Santo que nos convida a dobrar-nos em humildade e amor para unir-nos. Cada um de nós se encastelou em seu próprio reino.

Falta amor. Jesus disse. Esta divisão é dirigida contra Cristo. Não importa quão credível e justo alguns de nós gostaríamos de parecer aos olhos do mundo, e não importa quantas Ave-Marias, devoções e Kyrié Eleissons, nós rezemos, nossa resistência a fazermos a vontade de Cristo antes da nossa, e unir-nos em torno de um Altar, e deixarmos de lado o medo e a desobediência. Enquanto nossos corações não estiverem inflamados com o amor de Cristo e com o fogo do Espírito Santo, permaneceremos como ossos secos espalhados conforme a visão de Ezequiel. A Unidade só será possível quando todos nós verdadeiramente começarmos a amar Jesus Cristo.

Esta estéril inação que impede a unidade vai contra o que Cristo pediu ao Pai quando disse: "Para que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, para que também eles estejam em nós e o mundo creia que tu me enviaste." (Jo 17,21). E ainda mais quando não fazemos nada para trazer a unidade à Igreja, mas permanecemos calados como sepulturas em um vasto cemitério.

Vamos rezar para que os líderes de cada Igreja reúnam todos os membros do Corpo Místico de Cristo e, com a ajuda do Espírito Santo, leiam os sinais dos tempos, que nos chamam à unidade em torno de um só Altar compartilhando um só Cálice e um só Pão, juntos proclamando a uma só voz que existe um só Senhor, uma só fé, um só Batismo, um só Deus e Pai de todos, que atua acima de todos, por todos e em todos. (Ef 4,6)