RETURNAR AO SITE:http://www.tlig.org/pt/background/danielstart/angel-pg10/TAMANHO DA LETRA: NORMAL - GRANDE

Português » Histórico » A Aproximação do Meu Anjo » Tu Queres Servir-Me? »

 

A Aproximação do Meu Anjo (continuação)

Tu Queres Servir-Me?

Uma outra coisa que eu notava era que Jesus tomava cada vez mais o lugar do meu Anjo. Vinha a Mim como o Sagrado Coração. Um dia, surpreendeu-me com uma Sua pergunta: perguntou-me se eu O queria servir (nesta missão). O medo apoderou-se de mim e hesitei. Não consenti que isto se escrevesse, como nas restantes mensagens. Tinha medo de que Ele me mandasse fazer as malas e me obrigasse a deixar a minha casa, para entrar no convento, como religiosa. Ora eu não estava nada disposta a isso e não o queria mesmo. A minha falta de confiança desapontou-O e eu notei perfeitamente a Sua tristeza, bem manifesta no tom da Sua Voz, ao dizer-me: "Eu posso permanecer em ti, apesar da tua espantosa fraqueza". Sentia-me tristíssima, na medida em que O tinha decepcionado; por outro lado, tinha medo do desconhecido. São estas as palavras exactas: "... Se tu Me servires, Eu não revelarei em ti mais que a Paixão". Sem compreender, eu repetia "... a Paixão...". Então, Jesus diz: "Sim, a Paixão. Queres...". Interrompi, levantando a mão, para o não escrever, mas... entretanto, acabei por compreender tudo. Passei toda a noite a pensar nisso; depois, tomei a decisão de me lançar no desconhecido e me entregar completamente à Sua Vontade. E, deste modo, eu própria voltei à questão; perguntei-Lhe: "E Vós, quereis que eu Vos sirva?" Senti imediatamente a Sua alegria e Jesus diz-me:
"Sim, quero, e quero-o ardentemente, Vassula. Vem, e mostrar-te-ei onde e como poderás servir-Me... Trabalha e serve-Me como agora; mantém-te como és. Preciso de servidores que possam servir-Me, justamente onde mais falta o amor. Entretanto, trabalha muito, porque, onde tu estás, estás no meio do Mal, dos não crentes. Estás nas abjectas profundezas do pecado. Deverás servir o teu Deus, onde reina a escuridão; não terás descanso. Servir-          -Me-ás, onde todo o bem está a ser transformado em mal. Sim, serve-Me no meio da miséria, entre a crueldade e as iniquidades do mundo; serve-Me entre a gente sem Deus, entre os que fazem pouco de Mim, entre os que trespassam o Meu Coração; serve-Me, entre aqueles que Me flagelam, entre aqueles que Me crucificam ainda, e escarram em cima de Mim. Oh! Vassula, como sofro! Vem consolar-          -Me!... Aflige-te e sofre Comigo, partilha a Minha Cruz..." (24 Maio de 1987).
Depois, os Ensinamentos de Deus prosseguiram e as Suas comunicações têm sido diárias. No dia em que escrevo, elas continuam, porque Deus disse-me que o Seu carisma permaneceria em mim, até ao último dia da minha vida, na terra .

Uma outra coisa que eu notava era que Jesus tomava cada vez mais o lugar do meu Anjo. Vinha a Mim como o Sagrado Coração. Um dia, surpreendeu-me com uma Sua pergunta: perguntou-me se eu O queria servir (nesta missão). O medo apoderou-se de mim e hesitei. Não consenti que isto se escrevesse, como nas restantes mensagens. Tinha medo de que Ele me mandasse fazer as malas e me obrigasse a deixar a minha casa, para entrar no convento, como religiosa. Ora eu não estava nada disposta a isso e não o queria mesmo. A minha falta de confiança desapontou-O e eu notei perfeitamente a Sua tristeza, bem manifesta no tom da Sua Voz, ao dizer-me: "Eu posso permanecer em ti, apesar da tua espantosa fraqueza". Sentia-me tristíssima, na medida em que O tinha decepcionado; por outro lado, tinha medo do desconhecido. São estas as palavras exactas: "... Se tu Me servires, Eu não revelarei em ti mais que a Paixão". Sem compreender, eu repetia "... a Paixão...". Então, Jesus diz: "Sim, a Paixão. Queres...". Interrompi, levantando a mão, para o não escrever, mas... entretanto, acabei por compreender tudo. Passei toda a noite a pensar nisso; depois, tomei a decisão de me lançar no desconhecido e me entregar completamente à Sua Vontade. E, deste modo, eu própria voltei à questão; perguntei-Lhe: "E Vós, quereis que eu Vos sirva?" Senti imediatamente a Sua alegria e Jesus diz-me:

"Sim, quero, e quero-o ardentemente, Vassula. Vem, e mostrar-te-ei onde e como poderás servir-Me... Trabalha e serve-Me como agora; mantém-te como és. Preciso de servidores que possam servir-Me, justamente onde mais falta o amor. Entretanto, trabalha muito, porque, onde tu estás, estás no meio do Mal, dos não crentes. Estás nas abjectas profundezas do pecado. Deverás servir o teu Deus, onde reina a escuridão; não terás descanso. Servir-Me-ás, onde todo o bem está a ser transformado em mal. Sim, serve-Me no meio da miséria, entre a crueldade e as iniquidades do mundo; serve-Me entre a gente sem Deus, entre os que fazem pouco de Mim, entre os que trespassam o Meu Coração; serve-Me, entre aqueles que Me flagelam, entre aqueles que Me crucificam ainda, e escarram em cima de Mim. Oh! Vassula, como sofro! Vem consolar-Me!... Aflige-te e sofre Comigo, partilha a Minha Cruz..." (24 Maio de 1987).

Depois, os Ensinamentos de Deus prosseguiram e as Suas comunicações têm sido diárias. No dia em que escrevo, elas continuam, porque Deus disse-me que o Seu carisma permaneceria em mim, até ao último dia da minha vida, na terra .