INÍCIOÍNDICEPESQUISA
O MEU CÉU ESTÁ EM TI

19.2.1987


-Vassula, não recuses o sofrimento; todas as Minhas almas eleitas sofreram. Sofrendo, a tua alma purifica-se; como o ouro se purifica no fogo, assim acontece com a alma. O teu sofrimento está na revelação.

- Como, na revelação, Jesus?

- Tal como Eu te permito chamar-Me deste modo, em qualquer momento que seja, e assim Nós estamos juntos, assim também permito que as portas do Maligno estejam abertas. A revelação não será uma missão fácil, porque o Maligno te combaterá para te fazer desanimar, com palavras incorretas.

- Mas, então, Senhor, a Vossa revelação poderia perder-me!

- Não, não perderá: nem a ti nem a nenhum outro. Tenho-te ensinado a reconhecer-Me, Vassula. Escolhi alguém que não conhece perfeitamente língua alguma, alguém que dependerá apenas das Minhas Palavras. Tenho-te ensinado a ouvir-Me, exercito o teu ouvido. Vem, sê paciente, aprende a aceitar, aprende de Mim.

Começava a inquietar-me.

- Vassula, tudo será perfeito! Escreve: Sou Eu, Jesus...

Continuavam ainda as minhas dúvidas!

- Oh! Vem! Quero tanto dizer-te alguma coisa ! O Meu Céu está em ti, porque, em ti, Me sinto glorificado e em repouso.

- Jesus, amo-Vos, sim, e mesmo muito. Amo-vos vinte e quatro horas por dia. Mesmo quando acordo, de noite, o meu primeiro pensamento é para Vós. Como, e penso em Vós; guio, e penso em Vós; jogo o tênis, e sempre Vós estais no meu pensamento. O amor por Vós está no meu sangue, pois que o meu próprio corpo me dói por amor; mas não posso conceber que eu possa dar-Vos descanso e que Vós possais encontrar o Vosso Céu em mim. Mas quem sou eu? Um grão de areia. Sou incapaz! Quando me dizeis tudo isto, sinto-me ainda pior e envergonhada, na Vossa Presença.

- Tudo aquilo que disseste de ti mesma é verdade; mas Eu amo-te e realmente encontro descanso em ti. Banhei o teu coração com o Meu Sangue, metendo-o no Meu. Purifiquei-o e dei-lhe a Minha Paz e o Meu Amor, bem-amada. Vassula, Eu, que vim a ti e quis sempre o teu amor, agora triunfei, ponho as Minhas complacências em ti. Ama-Me sem restrições, reparando por aqueles que Me esquecem e que não fazem senão multiplicar as Minhas feridas. Ama-Me, Vassula, curando as Minhas queridas almas. Sê o Meu Céu.

- Meu Deus, dou-me conta de que sois Vós, mas não creio que me dê conta disso completamente! Se assim fosse, verdadeiramente, creio que desmaiaria!

- Vassula, tu compreendê-lo-ás, um dia, quando a Minha Palavra se realizar. Vassula, mantenho sempre a Minha Palavra. Eu, Javé, venho do Alto. O Céu foi feito por Graça Minha. Eu cumprirei a Minha Palavra; tem confiança em Mim, Vassula; não te preocupes demasiado, bem-amada; mantém-te ao pé de Mim, ouve-Me, ama-Me e glorifica-Me. Deixa-Me fazer o resto, vive em Paz. Formo-te com a Sabedoria, recebe a Minha Graça. Não te canses de curar as almas. E agora, sentes-te feliz por estar unida a Mim?

- Sim, Senhor, sou feliz por me sentir unida a Vós; contudo, não me atrevo a pensar demasiado nisso!

- E porquê, Vassula?

- Porquê? Porque não sou digna de Vós.

- Vassula, Eu tenho sempre suspirado por estar unido a ti e por te ser intimamente próximo; mas não te esqueças nunca de que Eu sou o teu Deus e Santo. Vassula, continuarás a trabalhar por Mim?

- Já Vos dei o meu consentimento. Sim, estou disposta a trabalhar por Javé.

- Eu sou Javé. Abençoada sejas.